PF indicia homem que postou ataque a senador e expôs filho de 7 anos do parlamentar

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Fabiano Contarato (Rede-ES). Foto: Jane de Araújo/Agência Senado
Fabiano Contarato (Rede-ES). Foto: Jane de Araújo/Agência Senado
  • PF indicia homem que postou ataque a senador Fabiano Contarato

  • Postagem na internet ainda expôs filho de 7 anos do parlamentar

  • Acusado chama Fabiano Contarato de "infeliz" e "sem vergonha" e o acusa de usar filho adotivo para "fazer marketing"

A Polícia Federal decidiu indiciar o homem que fotografou o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) ao lado do filho, em uma praia, e postou na internet com ataques ao parlamentar e à criança de sete anos.

O autor da publicação, identificado como Giovani Loureiro, foi ouvido pelos investigadores, que concluíram que ele cometeu crime de injúria, qualificada por se dirigir a funcionário público em razão de suas funções, e na internet.

O fato aconteceu em Vila Velha, no Espírito Santo. Na postagem, o homem chama o senador de “infeliz” e “sem vergonha” e o acusa de usar o “filho adotivo para fazer marketing”.

Postagem na internet chamou senador Fabiano Contarato de
Postagem na internet chamou senador Fabiano Contarato de "infeliz" e "sem vergonha" e o acusou de usar o filho adotivo para "fazer marketing" (Foto: Reprodução)

Na semana passada, Contarato registrou boletim de ocorrência na PF afirmando que a publicação foi “preconceituosa” e direcionou “inadmissível ódio” ao filho.

"Nada foi tão doloroso, porém, quanto ver seu ultraje gratuito contra o Gabriel, uma criança inocente de sete anos, que teve sua imagem exposta nas redes e foi menosprezado apenas por ser meu filho e, sobretudo, por ser fruto de uma adoção. O ódio é uma doença perversa: desumaniza suas vítimas e as submete a toda sorte de violência", disse Contarato, em nota divulgada à imprensa.

O acusado se disse arrependido, em depoimento à PF, e reconheceu que foi “infeliz” ao atacar Contarato. Ele alegou também que a intenção era criticar a atuação política e não o filho do senador. A publicação foi apagada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos