PF investiga grupo de 'coiotes' que enviou ao México brasileira estuprada na fronteira com os EUA

A Polícia Federal de Rondônia investiga uma agência de turismo de Porto Velho suspeita de promover imigração ilegal para os Estados Unidos por uma travessia da fronteira com o México. A operação Exodus foi deflagrada nesta quinta-feira.

Justiça: PF prende 'Sheik dos Bitcoins' durante operação em Curitiba

Vídeo: Aluno de universidade em São Paulo é retirado de sala após usar casaco com símbolo nazista

Ao todo, três pessoas e uma empresa tiveram R$ 17 milhões confiscados de suas contas pela PF. Equipamentos eletrônicos e documentos foram apreendidos nas residências dos investigados. Mandados foram cumpridos em Rondônia e Rio Grande do Norte.

As investigações começaram após familiares denunciarem o caso de uma emigrante que foi sequestrada, estuprada e alvo de uma tentativa de homicídio por mexicanos pagos para fazerem a sua travessia rumo aos EUA. Ela teria contratado os serviços de um 'coiote' brasileiro.

De acordo com a PF, a agência de viagens contratada pela mulher tinha uma atuação atípica, com a maior parte de seus negócios direcionado ao envio de brasileiros ao México. As movimentações financeiras milionárias da empresa eram incompatíveis com o capital social, indicando possível lavagem de dinheiro.

Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pela 7ª Vara Federal de Porto Velho. Os investigados foram submetidos ao uso de tornozeleira eletrônica e estão proibidos de deixarem o país.