PF investiga oferta fraudulenta de 200 milhões de doses de vacina de Covid ao Ministério da Saúde

MARCELO ROCHA
·1 minuto de leitura
***OTO DE ARQUIVO***SÃO PAULO/SP, BRASIL- 15.03.2021 - Vacinação de idosos a partir de 75 anos + volta da vacinação drive-thru no Memorial da América Latina. coronavirus covid-19 .(Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
***OTO DE ARQUIVO***SÃO PAULO/SP, BRASIL- 15.03.2021 - Vacinação de idosos a partir de 75 anos + volta da vacinação drive-thru no Memorial da América Latina. coronavirus covid-19 .(Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A Polícia Federal realiza nesta quinta-feira (25) operação contra um grupo suspeito de oferecer, de forma fraudulenta, 200 milhões de doses de vacinas contra Covid-19 ao Ministério da Saúde.

Em um dos endereços vasculhados na ação, os policiais encontraram caixas com centenas de frascos, o que reforça as suspeitas de falsificação de medicamento.

De acordo com o inquérito, os suspeitos usaram o nome de um grande consórcio farmacêutico e apresentaram credenciais falsas ao ministério.

Os suspeitos disseram aos técnicos do governo federal ter exclusividade para a comercialização dos imunizantes, segundo a polícia.

A PF não divulgou nomes dos envolvidos nem do consórcio farmacêutico. A polícia identificou que a oferta fraudulenta foi feita também a gestores da Saúde estaduais.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em Paracatu, no noroeste de Minas Gerais, e em Vila Velha, no Espírito Santo. As ordens foram expedidas pela Justiça Federal no Distrito Federal

Batizada de Taipan, a operação teve origem em denúncia feita pelo próprio ministério.

Os suspeitos podem responder pelos crimes de associação criminosa, estelionato, falsificação de documento particular e falsificação de produto destinado a fins medicinais.

O Ministério da Saúde não se pronunciou sobre o assunto até a conclusão deste texto.