PF leva suspeito a local do desaparecimento de indigenista e jornalista no AM

ATALAIA DO NORTE, AM, 15.06.2022 - DESAPARECIDOS-AM: Policias federais conduzem um dos suspeitos presos acusados do homicídio do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips, para uma diligência no local onde teriam sido escondidos os corpos. As buscas pelos dois homens continuam nesta quarta-feira (15) com auxílio da Policia Federal, Polícia Militar, bombeiros e Defesa Civil, além da Funai e organizações indígenas. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
ATALAIA DO NORTE, AM, 15.06.2022 - DESAPARECIDOS-AM: Policias federais conduzem um dos suspeitos presos acusados do homicídio do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips, para uma diligência no local onde teriam sido escondidos os corpos. As buscas pelos dois homens continuam nesta quarta-feira (15) com auxílio da Policia Federal, Polícia Militar, bombeiros e Defesa Civil, além da Funai e organizações indígenas. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

ATALAIA DO NORTE, AM (FOLHAPRESS) - A PF levou ao local do desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips um dos suspeitos investigados por suposta participação no sumiço.

A embarcação com policiais federais subiu o rio Itaquaí, percorrido por Pereira e Phillips.

O suspeito estava totalmente coberto, não sendo possível saber se se tratava de Amarildo Oliveira, o Pelado; seu irmão, Oseney de Oliveira, o Do Santos; ou até mesmo outro suspeito. Pelado e Dos Santos vivem na comunidade São Gabriel, onde moram ribeirinhos que vivem da pesca e da agricultura tradicional.

As buscas por vestígios de Pereira e Phillips estão concentradas num trecho um pouco abaixo da comunidade, entre São Gabriel e a comunidade Cachoeira.

A PF e a Polícia Civil do Amazonas mantêm sigilo sobre a diligência. Eles não informaram se o destino dos policiais é a comunidade; se é a área de buscas; e quem é o suspeito conduzido.

Pereira e Phillips estão desaparecidos desde o dia 5. Até agora, as equipes de buscas conseguiram localizar mochilas, roupas e um documento pessoal do indigenista.

A Polícia Civil investiga a suspeita de homicídio qualificado. A investigação aponta, até agora, a pesca e a caça ilegal na região, e os conflitos decorrentes das atividades ilegais, como pano de fundo do suposto crime.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos