PF pede novas provas para investigação contra Jair Renan, filho 04 de Bolsonaro

·1 min de leitura

BRASÍLIA - A Polícia Federal solicitou o compartilhamento de provas do inquérito das milícias digtais para aprofundar uma investigação contra Jair Renan Bolsonaro, o filho mais novo do presidente (conhecido como 04), sobre o recebimento de "vantagens de empresários" com interesses na administração pública.

O inquérito contra Jair Renan tramita na Superintendência da PF no Distrito Federal. Para dar prosseguimento ao caso, a PF solicitou o compartilhamento de informações obtidas no inquérito das milícias digitais, que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), sobre o empresário Allan Gustavo Lucena, que é próximo de Jair Renan e já foi seu personal trainer.

De acordo com a PF, as diligências do inquérito indicam a "associação estável" entre Jair Renan e Allan Lucena "no recebimento de vantagens de empresários com interesses, vínculos e contratos com aAdministração Pública Federal e Distrital sem aparente contraprestação justificável dos atos degraciosidade. O núcleo empresarial apresenta cerne em conglomerado minerário/agropecuário,empresa de publicidade e outros empresários".

Em resposta, foi encontrado um diálogo entre Allan Lucena e o blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, que foi enviado para o inquérito.

A PF não apresentou mais detalhes sobre a apuração contra Jair Renan.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos