PF prende 5 suspeitos de financiar ou participar de atos golpistas

Operação deflagrada hoje expediu oito mandados de prisão preventiva e 16 de busca e apreensão

Atos golpistas: apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro entram em confronto com as forças de segurança, 8 de janeiro de 2023 (Foto: Joedson Alves/Anadolu Agency via Getty Images)
Atos golpistas: apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro entram em confronto com as forças de segurança, 8 de janeiro de 2023 (Foto: Joedson Alves/Anadolu Agency via Getty Images)

A PF (Polícia Federal) prendeu na manhã desta sexta-feira (20) cinco alvos da operação Lesa Pátria, que mira financiadores e participantes de atos golpistas que aconteceram em Brasília no dia 8 de janeiro. São eles:

  • Ramiro Alves Da Rocha Cruz Junior, conhecido como Ramiro dos Caminhoneiros;

  • Randolfo Antonio Dias;

  • Renan Silva Sena;

  • Soraia Bacciotti;

  • Outro suspeito no DF, cujo nome não foi confirmado ainda.

Eles são investigados por:

  • Abolição violenta do Estado Democrático de Direito;

  • Golpe de Estado;

  • Dano qualificado;

  • Associação criminosa;

  • Incitação ao crime;

  • Destruição;

  • Deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido.

Operação Lesa Pátria

Ordenada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), a ação expediu

  • 8 mandados de prisão preventiva;

  • 16 de busca e apreensão.

Mandados cumpridos

  • Distrito Federal: 5 de busca e apreensão e 2 prisões

  • Goiás: 1 busca e apreensão

  • São Paulo: 7 busca e apreensão e 3 prisões

  • Rio de Janeiro: 1 busca e apreensão e 1 prisão

  • Minas Gerais: 1 busca e apreensão e 1 prisão

  • Mato Grosso do Sul: 1 busca e apreensão e 1 prisão

Liberados

Na quinta (19), a Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape-DF) começou a instalar tornozeleiras eletrônicas nos bolsonaristas radicais soltos após determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Segundo informações do portal g1, até quarta (18), 200 pessoas tinham sido liberadas por decisão do ministro, outras 354 tiveram a prisão convertida em preventiva, e vão ficar detidas por tempo indeterminado, e, de acordo com a última atualização, faltavam analisar 885 casos.

Medidas que bolsonaristas soltos devem cumprir

  • Proibição de ausentar-se da comarca;

  • Recolhimento domiciliar no período noturno e nos fins de semana;

  • Obrigação de se apresentar à Justiça quando forem convocados e todas as segundas-feiras;

  • Proibição de sair do país

  • Cancelamento de todos passaportes emitidos no Brasil;

  • Suspensão de qualquer documento de porte de arma de fogo e de certificados de registro para realizar atividades de colecionamento de armas;

  • Proibição do uso de redes sociais;

  • Proibição de se comunicar com outros investigados por qualquer meio.