PF prende empresário por exploração ilegal de diamantes, no Rio

Um empresário do ramo de mineração foi preso em flagrante pela Polícia Federal, em ação conjunta com a Agência Nacional de Mineração (ANM), na tarde desta quarta-feira, por obtenção ilegal do certificado Kimberly. Ele responderá pelo crime de usurpação de bens da União, com pena de um a cinco anos. Três pedras foram apreendidas. Elas serão encaminhadas à perícia técnica da PF para que seja verificada a autenticidade delas.

Pai processa shopping na Barra da Tijuca após acidente da filha em pista de patinação

Polícia investiga se suspeitos da morte de Marquinhos Catiri prestam serviços para contravenção

O Kimberly, adquirido de maneira ilegal pelo empresário preso, é um processo de certificação de origem de diamantes concebido para evitar a compra e venda de diamantes de sangue, isto é, procedentes de áreas de conflito, guerras civis e de abusos de direitos humanos.

Durante a instrução do processo de certificação das pedras apreendidas, os técnicos da ANM desconfiaram do local de extração dos diamantes, pois não havia condições geológicas conhecidas ou mapeadas para a ocorrência desta pedra preciosa naquela área. Dado que aumenta a suspeita de que não se tratam de diamantes verdadeiros.

De acordo com a ANM, o empresário possuía autorização apenas para a pesquisa e não para a exploração do local.