PF prende no AM terceiro suspeito de assassinato de Bruno e Dom

***ARQUIVO*** Atalaia do Norte, AM. 18/06/2021 - Base da Funai: na entrada na Terra Indigena.  (Foto: Lalo de Almeida/ Folhapress)
***ARQUIVO*** Atalaia do Norte, AM. 18/06/2021 - Base da Funai: na entrada na Terra Indigena. (Foto: Lalo de Almeida/ Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A Polícia Federal prendeu na manhã deste sábado (18) mais um suspeito de ter participado do assassinato do indigenista Bruno Pereira, 41, e do jornalista britânico Dom Phillips, 57.

Jefferson da Silva Lima, que tem o apelido de Pelado da Dinha, é o terceiro investigado preso no caso.

Segundo a PF, Jefferson se encontrava foragido e se entregou na Delegacia de Polícia de Atalaia do Norte. Ele será interrogado e encaminhado para audiência de custódia.

Dois homens estão detidos pela morte de Bruno e Dom: Amarildo Oliveira, conhecido como Pelado, e o irmão dele, Oseney de Oliveira, o Dos Santos.

Pelado prestou depoimento na terça (14) e confessou ter participado da morte do indigenista e do jornalista, de acordo com a polícia. Na quarta-feira (15), ele levou os investigadores ao local do crime. Dois corpos foram localizados na região. A perícia concluiu nesta sexta que um deles é de Dom.

A Folha apurou que Pelado mudou sua versão dos fatos. Em um primeiro momento, ele apontou duas pessoas como autoras do assassinato e disse ter participado da ocultação dos cadáveres. Agora, afirma que ele também realizou os disparos contra Bruno e Dom.

Nesse segundo depoimento, Pelado afirmou ter se juntado com Jefferson, com quem seguiu o barco da dupla e deu tiros de espingarda.

A polícia ainda apura a motivação do crime. Como mostrou a Folha, investigadores que atuam no caso têm afirmado reservadamente que as evidências e provas até o momento reforçam a hipótese de que as atividades ilegais de pesca e a caça na região são o pano de fundo do caso.

"As investigações também apontam que os executores agiram sozinhos, não havendo mandante nem organização criminosa por trás do delito", afirmou a PF em nota.

A perícia ainda aguarda o material genético de Bruno para poder confirmar se os remanescentes humanos encontrados são dele.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos