PF usa satélite e deflagra operação no Amazonas contra suspeitos de realizar queimadas e desmatamento

CAMILA MATTOSO
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A Polícia Federal cumpre nesta terça-feira (20) 27 mandados de busca e apreensão para avançar na investigação contra proprietários de terras no sul do Amazonas suspeitos de desmatamento, queimadas e uso irregular de terras da União. A ação, batizada de Operação Pentaedro do Fogo, se valeu de informações do sistema de satélite Planet para cruzar imagens de focos de incêndio com dados de proprietários de terras e chegar até os responsáveis pelos crimes. O sistema de alta precisão conseguiu identificar 10,9 mil focos de incêndio em municípios do sul do Amazonas. Segundo a PF, a metodologia utilizada na apuração é inédita no combate às queimadas e, além do caráter repressivo, serve como prevenção uma vez que expõe a possibilidade dos órgãos de fiscalização mapear com precisão os focos e responsáveis pelos incêndios. Como mostrou o jornal Folha de S.Paulo, a PF contratou por R$49 milhões os serviços do sistema Planet em 2020. À época, integrantes do Inpe, órgão que fiscaliza o desmatamento, foram contra a iniciativa com o argumento de que já possuíam outro sistema com as mesmas funções. A operação foi comandada ainda pelo delegado Alexandre Saraiva, que foi tirado nesta terça do cargo de superintendente do Amazonas. A mudança foi decidida na semana passada, como revelou a Folha de S.Paulo, em meio ao atrito com Ricardo Salles (Meio Ambiente). Saraiva enviou uma notícia-crime ao Supremo dizendo que o ministro atrapalha investigações e defende interesses de madeireiras ligadas ao desmatamento ilegal.