PF vai instaurar inquérito para chegar a dono de carga em maior apreensão de maconha no país

FERNANDA CANOFRE

BELO HORIZONTE , MG (FOLHAPRESS) - Uma ação conjunta entre a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal em Mato Grosso do Sul levou à maior apreensão de drogas já registrada no país, segundo as forças de segurança. Ao todo, foram apreendidas 28 toneladas de maconha, escondidas em meio a uma carga de milho.

A ação ocorreu na quarta-feira (20), quando um homem de 38 anos foi abordado, dirigindo um caminhão com a carga, próximo à cidade de Tacuru (MS). A PF vigiava o homem desde que ele deixou Ponta Porã (MS), na fronteira com o Paraguai, segundo o superintendente regional em MS, Cléo Mazzotti.

"Uma carga de maconha desse volume não é de uma organização criminosa de baixo poder aquisitivo, então agora a gente vai instaurar um inquérito para buscar quem são os verdadeiros proprietários, quem são os indivíduos que lucram com esse entorpecente, quais são os processos de lavagem de dinheiro que eles usam, para tentar desarticular e descapitalizar a organização", diz ele.

Eles chegaram à carga depois que policiais federais avistaram o homem dentro da cidade de Ponta Porã, enquanto estavam em outra diligência. Como ele parecia nervoso, à espera de alguém, cuidando carros que passavam em frente a um hotel, os policiais decidiram investigá-lo.

Com a ficha dele em mãos, descobriram que o homem tinha habilitação para carteira categoria E (para dirigir veículos com cargas pesadas) e estava com um caminhão, transportando grãos.

Na região de fronteira é comum o transporte de drogas em caminhões graneleiros, explica Mazzotti. A fiscalização é difícil, segundo ele, porque costuma exigir a remoção de toda a carga de grãos para chegar aos entorpecentes.

Os policiais federais seguiram acompanhando o homem. Quando ele pegou o caminhão para voltar à estrada, eles solicitaram apoio da Polícia Rodoviária Federal, para evitar fuga por estradas vicinais. A abordagem ocorreu entre Tacuru e Iguatemi, a cerca de 200 km de Ponta Porã.

Sem passagens pela polícia, o homem disse aos policiais que levaria a droga para São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, e que recebeu R$ 40 mil para fazer o transporte. Ele alegou que não acompanhou o carregamento da droga. A PF diz que ela teria vindo do Paraguai.

Segundo a PRF, o recorde em apreensões anteriores havia sido de 24 toneladas de maconha, em Porto Camargo, distrito de Icaraíma (PR), município a 220 km de Tacuru, em 2015. A maior apreensão do ano passado foi registrada em São Paulo, 11,3 toneladas.

Há um aumento nas apreensões de drogas em 2020 em Mato Grosso do Sul, segundo Mazzotti. Enquanto em todo o ano de 2019 foram apreendidas 79 toneladas de maconha, neste ano já foram registradas 63 toneladas apreendidas. No ano passado, a média mensal de apreensões era de 6,6 toneladas por mês; neste ano, é de 12,6 toneladas.

"A gente entende que, com a pandemia, os criminosos acabam achando que a polícia está com efetivo menor e tentam trazer produtos ilícitos. Mas as forças policiais seguem trabalhando da mesma forma e apreendem mais", diz o superintendente da PF/MS.