Pfizer confirma acordo com ministério para 100 milhões de doses de vacina contra Covid

Ricardo Brito
·2 minuto de leitura
Profissional de saúde prepara vacina da Pfizer para aplicação em centro de vacinação em Montreal

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - A Pfizer Brasil e a BioNTech confirmaram nesta sexta-feira o acordo com o Ministério da Saúde para o fornecimento de 100 milhões de doses da vacina contra Covid-19 desenvolvida pelos dois laboratórios, dias após a pasta ter anunciado o acerto.

No comunicado, as farmacêuticas disseram que as doses serão entregues até o final do terceiro trimestre deste ano.

"Estamos muito honrados em trabalhar com o governo brasileiro e em colocar nossos recursos científicos e produtivos a favor de nosso objetivo comum de vacinar a população brasileira contra a Covid-19 o mais rapidamente possível", disse Marta Díez, presidente da Pfizer Brasil, em comunicado.

A vacina Pfizer-BioNTech

Em nota, o Ministério da Saúde informou que os contratos com as farmacêuticas Pfizer e Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson "foram concluídos e assinados".

"Os acordos garantem mais 138 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 para a campanha nacional de vacinação, em andamento desde o dia 18 de janeiro", disse.

Segundo a pasta, a negociação com a Pfizer prevê 100 milhões de doses: 13,5 milhões entregues entre abril e junho e outros 86,5 milhões de julho a setembro.

O contrato com a Janssen, conforme o ministério, prevê 38 milhões de doses: 16,9 milhões estão previstas para serem entregues de julho a setembro e 21,1 milhões de outubro a dezembro.

"Cabe ressaltar que o cronograma de entrega das vacinas é enviado ao Ministério da Saúde pelos laboratórios e está sujeito a alterações, de acordo com a disponibilidade de doses e a real entrega dos quantitativos realizada pelos fornecedores", ressalvou a pasta.

ACORDO FINANCEIRO

Os detalhes financeiros do acordo não foram revelados no comunicado da Pfizer, mas, conforme extratos de dispensa de licitação publicados no Diário Oficial da União na terça-feira, o governo federal vai investir 5,63 bilhões de reais na compra de 100 milhões de doses da vacina da Pfizer.

O governo também planeja investir outros 2,14 bilhões de reais na aquisição de 38 milhões de doses do imunizante da Janssen. Esse imunizante ainda não tem registro definitivo na Anvisa, mas deve receber brevemente a autorização de uso emergencial, já que tem o registro nos Estados Unidos e em outros países que são usados como base para a análise da agência reguladora brasileira.

A compra de vacinas desses dois laboratórios foi anunciada como um dos últimos atos do ministro demissionário da Saúde, Eduardo Pazuello, em meio a críticas na demora na imunização e no momento em que o país passa pela pior fase da pandemia.