Pfizer e AstraZeneca: nova xepa de SP reduz intervalo entre doses para 30 dias

·2 minuto de leitura
RIO DE JANIERO, BRAZIL - MAY 24: A public health worker prepares a dose of the AstraZeneca vaccine at a COVID-19 vaccination clinic at Museu da Republica (Museum of the Republic) on May 24, 2021 in Rio de Janeiro, Brazil. COVID-19 has claimed more than 1 million lives in Latin America and the Caribbean, with nearly half of those deaths in Brazil. Only three percent of the population of Latin America has been fully vaccinated against COVID-19. Health experts are warning that Brazil should brace for a new surge of COVID-19 amid a slow vaccine rollout and relaxed restrictions. The state of Sao Paulo has registered over 3 million cases of COVID-19 and more than 100,000 deaths. Nearly 450,000 people have died in Brazil by COVID-19, second only to the U.S. (Photo by Mario Tama/Getty Images)
Intervalo mínimo era de 60 dias, mas será reduzido para 30 dias (Foto: Mario Tama/Getty Images)
  • Cidade de SP vai permitir que pessoas vacinadas com Pfizer e AstraZeneca se inscrevam na xepa depois de 30 dias da primeira dose

  • Antes, intervalo mínimo era de 60 dias; redução do intervalo começa na segunda (23)

  • Também na segunda, cidade começará a vacinas adolescentes de 12 a 15 anos com comorbidades ou deficiência permanente

A partir de segunda-feira (23), a cidade de São Paulo vai permitir que pessoas vacinadas com Pfizer ou AstraZeneca poderão se inscrever na xepa depois de 30 dias da vacinação. Os interessados devem se inscrever nas Unidades Básicas de Saúde da capital paulista.

Antes o intervalo era de 60 dias. Na bula da vacina da Pfizer, o indicado é que o intervalo entre as doses seja de 21 a 28 dias. Já a AstraZeneca pode ser aplicada intervalo de 4 a 12 semanas. Quem tomou a CoronaVac pode se inscrever na xepa depois de duas semanas da primeira dose. O intervalo entre as imunizações é de 14 a 28 dias.

Leia também:

Desde a última quinta-feira (19), estão autorizados a tomar a vacina contra a covid-19 as pessoas que assinaram um termo se recusando a se imunizares, por causa da marca da vacina.

Atualmente, a cidade de São Paulo está vacinando adolescentes de 16 e 17 anos com comorbidades ou deficiência, além de grávidas e puérperas. Na segunda, o município dá início à imunização a pessoas incluídas nestes grupos, na faixa etária de 12 a 15 anos.

Terceira dose na cidade de SP

Em entrevista à rádio CBN, o prefeito Ricardo Nunes afirmou que na quarta-feira (18), o secretário de Saúde da cidade, Edson Aparecido, esteve com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para debater a questão da terceira dose.

“O que o secretário nos repassou: não existe no momento nenhuma definição com relação à terceira dose, mas que o ministério está vendo com muita atenção”, explicou.

Redução de intervalo entre doses no estado de SP

O estado de São Paulo vai diminuir o intervalo entre as doses da Pfizer e também da AstraZeneca. Agora, o tempo entre a primeira e a segunda dose será de 30 dias, não mais de 12 semanas, como estava sendo antes. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (17) pelo governador João Doria (PSDB) e pela coordenadora do Plano Estadual de Imunização, Regiane de Paula.

Para poder reduzir o intervalo, o governo estadual pediu para que o Ministério da Saúde disponibilize mais doses. Só então a redução do intervalo será institucionalizada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos