Pfizer planeja testar vacina de reforço para variante sul-africana da Covid-19

Michael Erman
·1 minuto de leitura
Frasco e seringa em frente aos logos da Pfizer e da BioNTech em foto de ilustração

Por Michael Erman

NOVA YORK (Reuters) - Um cientista graduado da Pfizer disse nesta quinta-feira que a empresa está envolvida em conversas intensas com agências reguladoras para testar uma versão de reforço de sua vacina contra coronavírus concebida especificamente para uma variante altamente contagiosa que está se disseminando amplamente na África do Sul e em outras partes.

Phil Dormitzer, um dos principais cientistas de vacinas virais da Pfizer, disse em uma entrevista que acredita que a vacina atual desenvolvida com a alemã BioNTech muito provavelmente ainda protege contra a variante preocupante descoberta primeiramente na África do Sul.

"Não estamos fazendo isso principalmente porque achamos que isso significa que teremos que mudar esta vacina", disse. "É principalmente para aprender como alterar a linhagem, em termos do que fazemos no nível da fabricação e especialmente no que são os resultados clínicos."

"Então, se surge uma variante para a qual existem indícios clínicos de fuga, estamos prontos para reagir muito rapidamente", acrescentou Dormitzer.

Dormitzer disse que a Pfizer já fez um molde de DNA de um protótipo de vacina e planeja fabricar uma leva deste protótipo.

A farmacêutica está propondo fazer um teste clínico de estágio inicial de uma vacina de reforço deste protótipo de vacina que compararia com um reforço para a vacina atual.

A Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) ainda não divulgou uma diretriz de como as empresas deveriam desenvolver testes de vacinas de reforço.