PGR é acionada para investigar ministro da Saúde por vacinas vencidas

O deputado Leo de Brito (PT-AC) protocolou na Procuradoria-Geral da República uma representação contra o ministro Marcelo Queiroga por improbidade administrativa em virtude das vacinas e medicamentos vencidos em depósitos do Ministério da Saúde.

MAIS: Ministério da Saúde acha vacina do Butantan para crianças cara e avalia opção mais barata

Reportagem do Fantástico mostrou que que o Ministério da Saúde deixou vencer em seu depósito 3,75 milhões de doses da vacina pentavalente, que protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e ainda contra haemophilus, influenza tipo B ; outras 2,75 milhões de unidades de spray usado no tratamento de diabetes; além de 88 mil ampolas de insulina; 4,16 milhões de unidades de bactericidas e de medicamentos para o tratamento da Aids.

VACINAS: Ministério da Saúde acata Anvisa e autoriza CoronaVac para crianças

Além disso, também venceram, em plena pandemia, mais de 344 mil doses de vacinas contra a Covid, causando um prejuízo de R$ 46,6 milhões. Ao todo, foram desperdiçados R$ 243 milhões.

ELEIÇÕES 2022: A ‘virose’ de Bolsonaro

Na representação à PGR, o deputado federal pede que a “instauração de Inquérito Civil para a apuração da conduta omissiva, ilegal, praticada pelo ministro da Saúde, sob a ótica da Lei de improbidade administrativa”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos