PGR abre inquérito contra três deputados bolsonaristas por ataque à democracia

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O procurador-geral da República, Augusto Aras, abriu inquérito contra três deputados bolsonaristas recém-diplomados que teriam incitado atos antidemocráticos neste domingo (8). Os alvos são André Fernandes (PL-CE), Clarissa Tércio (PP-PE) e Silvia Waiãpi (PL-AP).

De acordo com as informações que chegaram ao Ministério Público Federal, os três incentivaram os atos golpistas por meio de áudios, vídeos e reuniões. O inquérito será encaminhado ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Na segunda-feira (9), a bancada do PT na Câmara e o PSOL entraram com representações junto ao STF pedindo que parlamentares que participaram ou incentivaram atos antidemocráticos e golpistas sejam investigados pelo ministro Alexandre de Moraes.

Além dos três, os dois partidos pedem ainda a investigação da suplente Pâmela Bório (PSC-PB).

A colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo, revelou que Waiãpi apoiou publicamente os atos de vandalismo ocorridos no Palácio do Planalto, no Congresso Nacional e no STF. Em publicação nas redes, ela sugeriu que estava em curso uma ação contra um suposto "governo vermelho". Ainda no domingo, ela apagou as postagens.

A medida, tomada pelo procurador-geral, Augusto Aras, ocorre no momento em que ele busca mostrar que não foi leniente com manifestações antidemocráticas.