PGR alerta Pazuello sobre risco de desabastecimento de oxigênio em Rondônia e pede resposta até dia 22

Melissa Duarte
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA - A Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ofício para alertar que o estado de Rondônia pode sofrer desabastecimento de oxigênio a partir da próxima quarta-feira. O órgão pede que a pasta tome medidas para lidar com a crise.

O documento foi encaminhado na noite de sexta-feira pelo Gabinete Integrado de Acompanhamento da Epidemia Covid-19 (Giac), responsável por acompanhar a pandemia.

O pedido de providências foi encaminhado “em caráter urgentíssimo” pela Procuradoria-Geral de Rondônia à PGR, que o redirecionou para o Ministério da Saúde. O prazo de resposta é até segunda-feira, dia 22.

De acordo com o oficio, o Acre também sofre com o aumento da demanda por cilindros de oxigênio, que chegou a mais que dobrar em cidades como Manoel Urbano (+190%), Porto Walter (+150%) e em Acrelândia (+114%).

Responsável por abastecer 33 cidades rondonienses, a Oxiporto diz em manifestação anexada no documento que o "consumo de oxigênio em Rondônia e Acre continua subindo de forma assustadora".

A previsão é que ambos os estados necessitem de 160 mil m³ de oxigênio, solicitados ao Ministério da Saúde, somados aos 80 mil m³ já produzidos pela Oxiporto.

A estimativa era de que 160 mil m³ seriam necessários em 10 e 11 de março. O consumo médio durante a pandemia em 2020 chegava à metade: 80 mil m³ por mês, conforme o ofício.

Ainda segundo o ofício, a pasta está em contato com a Oxiporto (envasadora de gases), com a Cacoal Gases (distribuidora de gases) e com a Oxiacre (distribuidora de gases). O primeiro contato com o general da reserva Ridauto Fernandes, assessor do Departamento de Logística em Saúde da Secretaria Executiva do ministério, em 10 de março.

A pasta enviou um isotanque de 5 mil m³ à Rondônia na última sexta-feira. Questionada pelo GLOBO sobre o planejamento e a previsão de entrega de oxigênio nos próximos dias, a pasta não respondeu até a publicação desta reportagem.

A Covid-19 já ceifou 3.589 vidas no estado e contaminou 173.099 pessoas em Rondônia até a última sexta-feira. Os dados são do boletim diário da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).