PGR denuncia ao STF mais 80 pessoas por atos golpistas de 8 de janeiro

A Procuradoria Geral da República (PGR) denunciou ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira mais 80 pessoas pelos atos golpistas do dia 8 de janeiro em Brasília.

Até agora, já foram denunciadas 912 pessoas, entre executores e incitadores dos atos. Com essa nova leva, ao todo, a PGR já denunciou 912 pessoas distribuídas entre os núcleos de executores e incitadores.

Entre os novos denunciados, 44 foram acusados pelos crimes de incitação equiparada pela animosidade das Forças Armadas contra os Poderes Constitucionais e associação criminosa, e 36 foram acusados por crimes mais graves, praticados com violência e grave ameaça.

O plenário do STF ainda irá avaliar se recebe ou não as denúncias oferecidas pela PGR contra essas pessoas.

Além das denúncias oferecidas nesta segunda, a PGR pediu a revogação da prisão de 202 acusados por crimes leves, cuja pena máxima não alcança o patamar de 4 anos.

Segundo o MPF, quanto aos acusados por crimes graves, praticados com violência e grave ameaça, cujas penas máximas superam esse patamar, foi requerida a manutenção da prisão cautelar de 58 pessoas.

Também nesta segunda-feira, a PGR opinou pela liberação de 29 ônibus de empresas que apresentaram a relação de passageiros e os documentos relativos à contratação e/ou pagamento do transporte para Brasília, em 8 de janeiro. As empresas são investigadas no âmbito dos inquéritos.

Na manifestação, no entanto, o coordenador do Grupo Estratégico, Carlos Frederico Santos, pediu que seja feita uma notificação nos registros desses ônibus junto ao Sistema Nacional de Trânsito para vincular o veículo aos atos criminosos — impondo restrições aos proprietários.