PGR denuncia cinco pessoas por ataque à Câmara no 8 de janeiro

A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou nesta quarta-feira cinco pessoas envolvidas no ataque e depredação da Câmara dos Deputados no dia 8 de janeiro. Foi solicitado o bloqueio de bens dos envolvidos e a preservação de dados digitais e publicações.

Assista: Câmeras de segurança do STF mostram golpistas rompendo barreira policial, destruindo esculturas e com toga de ministros

Sobrinho de Bolsonaro: Investigado por participar dos atos terroristas pede gratuidade de Justiça ao STF

Essa é a quarta leva de acusações apresentadas pela PGR contra participantes dos atos golpistas. Ao todo, 103 pessoas já foram apontadas como executores das ações. Antes, já foram denunciadas pessoas que participaram dos ataques ao Senado e ao Supremo Tribunal Federal (STF) e que estavam em acampamento em frente ao Quartel-General do Exército.

A íntegra das novas denúncias não foi divulgada. De acordo com informações da PGR, os acusados foram denunciados pelos crimes de tentativa de abolir, com grave ameaça ou violência, o Estado Democrático de Direito; golpe de Estado; associação criminosa armada; dano qualificado pela violência e grave ameaça, com emprego de substância inflamável, contra o patrimônio da União e com considerável prejuízo para a vítima.

Na denúncia, a PGR utiliza informações da Polícia Legislativa, que apontou que havia uma linha de frente dos manifestantes, que portavam machados e pedaços de pau, e um grupo de retaguarda, que dava suporte e dificultava a ação dos policiais.

Dentro do Congresso, os suspeitos teriam quebrado obras de arte, móveis, computadores, câmeras de segurança, equipamentos de segurança e veículos.