PGR denuncia Roberto Jefferson por incitação ao crime

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Roberto Jefferson foi denunciado pela PGR - Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Roberto Jefferson foi denunciado pela PGR - Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
  • PGR apresentou denúncia contra Roberto Jefferson por incitação ao crime

  • O ex-deputado teria incentivado a população a invadir o Congresso e atacar instituições como o STF

  • Roberto Jefferson está preso preventivamente desde o último dia 13

Roberto Jefferson foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por incitação ao crime e por supostas violações à Lei de Segurança Nacional. A acusação foi oferecida pela subprocuradora Lindôra Araújo no último dia 25.

A PGR relatou uma série de entrevistas nas quais o ex-deputado federal e presidente do PTB estimulou seus seguidores a invadir o Congresso. Ele também teria incentivado a população a reagir a abordagens de policiais e atacar instituições como o Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia também:

O despacho de Lindôra é destinado ao ministro do STF Alexandre de Moraes, relator do caso. Caso seja considerado culpado, Roberto Jefferson pode ser condenado a até seis meses de prisão.

Por meio do Ministério Público, a PGR pediu que Alexandre de Moraes avalie o pedido de prisão domiciliar. Na semana passada, a defesa de Roberto Jefferson apontou que ele tem graves problemas de saúde, como diabetes, hipotireoidismo, diverticulite, e sequelas do tratamento de câncer e de uma cirurgia bariátrica.

Roberto Jefferson teria incitado a população a cometer crimes - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Roberto Jefferson teria incitado a população a cometer crimes - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Roberto Jefferson foi preso há duas semanas

O ex-deputado está em prisão preventiva desde o último dia 13, acusado de participação em uma organização criminosa digital montada para ataques à democracia. Também foram cumpridas busca e apreensão na residência dele.

O pedido de prisão foi autorizado por Alexandre de Moraes. A investigação faz parte do novo inquérito aberto por ordem do ministro após o arquivamento do inquérito dos atos antidemocráticos, para apurar uma organização criminosa digital.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos