PGR pede ao STF inquérito contra deputada Bia Kicis pelo crime de racismo

·1 min de leitura

BRASÍLIA – A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de inquérito para investigar suposto crime de racismo cometido pela deputada Bia Kicis (PSL-DF), aliada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A requisição foi encaminhada ao ministro Ricardo Lewandowski, relator do caso, na última sexta-feira.

Kicis, que hoje preside a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, foi alvo de uma notícia de fato apresentada em outubro de 2020 pela postagem em que ironizou a procura por emprego de Sergio Moro e Henrique Mandetta, colorindo seus rostos de preto (alusão à necessidade de cotas). A denúncia citou a prática de “blackface”: pintar um branco de negro para ridicularizá-lo.

No documento encaminhado ao STF, o vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, afiirma que "a natureza" das declarações da deputada "implica, em tese, prática da infração penal" que define os crimes resultantes de preconceito ou discriminação.

"Com o objetivo de preparar e embasar o juízo de propositura, ou não, da ação penal respectiva, indica-se, desde já, como diligência inicial a ser cumprida pela Polícia Federal, mediante autorização de Vossa Excelência, a conservação da publicação e a inquirição da parlamentar", esreveu o vice-procurador-geral da República.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos