PGR pede autorização ao Supremo para tomar depoimento de Zambelli sobre ter sacado arma de fogo em SP

A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu autorização ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes para colher o depoimento da deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) sobre o episódio no qual ela sacou uma arma de fogo e apontou para um homem em São Paulo, no sábado passado.

Veja também: Moraes determina que PRF informe efetivo policial mobilizado para desbloqueio de vias e nas eleições

Congresso: PL planeja anunciar oposição ao governo Lula na próxima semana

Na manifestação enviada ao STF, a vice-procuradora-geral da República Lindôra Araújo não chega a solicitar a abertura de inquérito contra a parlamentar bolsonarista. Ela apenas pede autorização para ouvir Zambelli a título de "diligência preliminar" e solicita ao Supremo que informe se a cópia do boletim de ocorrência do caso, registrado na Polícia Civil de São Paulo, já chegou à corte.

"O Ministério Público Federal, a título de diligências preliminares, requer: (...) seja autorizada a oitiva da Deputada Federal CARLA ZAMBELLI SALGADO, a ser realizada pela Procuradoria-Geral da República, sem prejuízo de outras oitivas decorrentes que se afigurem necessárias", escreveu Lindôra.

Virada: Se governo Lula apoiar reeleição de Lira na Câmara, pode acontecer 'contrapartida', diz presidente do PP

Bela Megale: Chefe da segurança se aproxima de Lula na campanha e é favorito para comandar PF

No episódio, um segurança que acompanhava Zambelli chegou a ser preso em flagrante por ter efetuado um disparo de arma de fogo. Em depoimento, ele alegou que o disparo foi acidental. Ele pagou fiança e foi liberado.

Zambelli anunciou na quinta-feira ter viajado aos Estados Unidos. Segundo o colunista Lauro Jardim, um dos planos da parlamentar é se encontrar com o blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, alvo de ordem de prisão do STF por incitar atos antidemocráticos.