PGR pede que Bolsonaro seja investigado por ataques em Brasília

A Procuradoria-Geral da República (PGR) informou, nesta sexta-feira (13), que pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) investigar o ex-presidente Jair Bolsonaro no inquérito que apura o ataque às sedes dos Três Poderes em Brasília, em 8 de janeiro.

No pedido, a PGR considerou que Bolsonaro, que está nos Estados Unidos desde o fim de dezembro, deve ser incluído na investigação "que apura a instigação e autoria intelectual dos atos antidemocráticos que resultaram em episódios de vandalismo e violência em Brasília".

De acordo com o texto, o ex-presidente "teria feito incitação pública à prática de crime" ao postar nas redes sociais um vídeo questionando o resultado das eleições.

A postagem foi feita em 10 de janeiro, dois dias depois dos ataques na capital, e apagada depois, no dia 11, detalhou a PGR.

Apesar de a publicação ter sido feita dois dias depois dos ataques, o subprocurador-geral da República, Carlos Frederico Santos, disse que as condutas do ex-presidente devem ser investigadas.

"Não se nega a existência de conexão probatória entre os fatos contidos na representação e o objeto deste inquérito, mais amplo em extensão. Por tal motivo, justifica-se a apuração global dos atos praticados antes e depois de 8 de janeiro de 2023 pelo representado", disse Santos, citado no comunicado.

msi/pr/yow/rpr/am