PGR recebe denúncia sobre cheque de R$ 89 mil de Queiroz a Michelle Bolsonaro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Presidente Jair Bolsonaro e primeira-dama Michelle Bolsonaro em cerimônia no Palácio do Planalto
Fabrício Queiroz depositou R$ 89 mil na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
  • Ministro do STF Marco Aurélio Mello enviou à PGR denúncia sobre cheques depositados na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro

  • Fabrício Queiroz, acusado de ser operador do esquema de rachadinha de Flávio Bolsonaro na Alerj, fez os depósitos para a primeira-dama

  • Presidente Jair Bolsonaro admitiu empréstimo de R$ 40 mil a Queiroz, mas não explicou origem do restante do dinheiro

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou na última sexta-feira (23) para análise da Procuradoria-Geral da República (PGR) uma notícia de fato a respeito dos R$ 89 mil depositados na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro, por Fabrício Queiroz, apontado como articulador do esquema de “rachadinha” no gabinete de Flávio Bolsonaro (Republicanos) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Fabrício Queiroz e sua esposa, Márcia Aguiar depositaram R$ 72 mil em 21 cheques na conta bancária da primeira-dama, revelado por meio da quebra de sigilo bancário e fiscal do ex-assessor de Flávio. Já Márcia repassou R$ 17 mil para Michelle Bolsonaro de janeiro a junho de 2011.

Leia também

As informações são da jornalista Juliana Dal Piva, do site UOL.

Em 2018, um conjunto menor de cheques para a primeira-dama, no total de R$ 24 mil, já tinha sido identificado no relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras). Na época, Jair Bolsonaro se defendeu.

"Não foi por uma, foi por duas vezes que o Queiroz teve uma dívida comigo e me pagou com cheques. E não veio para a minha conta esse cheque, porque simplesmente eu deixei no Rio de Janeiro. Não estaria na minha conta. E não foram R$ 24 mil; foi R$ 40 mil".

O presidente, no entanto, não explicou depois quando o conjunto maior de cheques foi revelado e ainda ameaçou de agressão um repórter que o questionou sobre o assunto.

A notícia de fato é uma denúncia feita para a apreciação dos órgãos do Ministério Público. Nesse caso, a demanda é de autoria do advogado Ricardo Bretanha e foi protocolada em agosto do ano passado.

A Procuradoria-Geral da República afirmou que recebeu a semana e analisará nesta semana “os pareceres apresentados nos autos dos processos”.

A Presidência da República não se posicionou sobre o caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos