PGR se manifesta contra pedido de afastamento do ministro Ricardo Salles

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - A Procuradoria-Geral da República (PGR) afirmou ao Supremo Tribunal Federal (STF) ser contra o pedido de afastamento do ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, protocolada por uma advogada que acusava o ministro de obstruir a investigação por ter se recusado a entregar seu celular à Polícia Federal.

Na manifestação, a PGR argumentou que não é cabível que uma parte externa à investigação faça esse tipo de pedido dentro do processo. Com base nesse entendimento, a manifestação foi contrária. O documento é assinado pelo vice-procurador-geral da República Humberto Jacques de Medeiros. "A representante é parte ilegítima para postular a adoção das medidas"

Além disso, a PGR cita que o próprio ministro entregou posteriormente o celular à PF. "Consequentemente, eventuais ilações acerca de resistência a determinação judicial pelo investigado estão superadas pela entrega voluntária de seu telefone celular", escreveu.

O parecer foi enviado nesta quinta-feira ao ministro do STF Alexandre de Moraes, relator do caso. Agora, caberá a Moraes decidir sobre o andamento do pedido.

Salles foi alvo de operaçao da Polícia Federal no dia 19 de maio. Na ocasião, porém, a PF não conseguiu apreender seu celular. A defesa do ministro argumentou ao STF que não houve solicitação para que ele entregasse o aparelho.