Piñera enfrenta primeiro grande protesto estudantil no Chile

Por Paulina ABRAMOVICH
1 / 2
Passeata estudantil diante do Palácio de La Moneda, em Santiago, no dia 19 de abril de 2018.

Milhares de estudantes protestaram nesta quinta-feira no centro de Santiago, na primeira grande manifestação do segundo mandato do presidente chileno, Sebastián Piñera.

Reunidos no Parque Bustamante, os estudantes caminharam por vários quarteirões pela avenida Alameda de Santiago, ao ritmo do som de tambores, em um ambiente festivo que acabou degenerando em confrontos com a polícia.

À margem da manifestação, jovens com o rosto coberto lançaram paus, pedras e outros objetos contra os policiais que protegiam o centro de Santiago. A polícia respondeu com jatos d'água e bombas de gás lacrimogêneo.

Segundo a intendente de Santiago, Karla Rubilar, o protesto deixou 180 detidos, incluindo "50 menores", e um estudante foi atropelado por um veículo da polícia.

"Protestamos contra a forma e a reforma", dizia um dos cartazes carregados pelos estudantes, que há anos exigem um ensino público gratuito e de qualidade.

"Recuperar a educação para o povo", declarava outro cartaz na passeata, que elevou o tom diante do Palácio Presidencial de La Moneda.

Segundo os organizadores, cerca de 120 mil pessoas participaram da passeata. A polícia estimou o número em 30 mil.