PIB americano tem contração de 4,8% no primeiro trimestre deste ano, pior resultado desde crise de 2008

O Globo, com agências internacionais

WASHINGTON - O Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA caiu a uma taxa anualizada de 4,8% no primeiro trimestre deste ano, informou o Departamento de Comércio americano nesta quarta-feira. O resultado é o pior desde o quarto trimestre de 2008, quando o mundo enfrentava a crise financeira das hipotecas (subprime). A explicação para o atual resultado é o severo impacto do novo coronavírus na atividade econômica.

Nos últimos três meses de 2019, a economia americana tinha registrado avanço de 2,1%. Economistas consultados pela agência Reuters estimavam que a queda no primeiro trimestre deste ano seria de 4%.

O declínio refletiu uma queda na atividade econômica nas últimas duas semanas de março, que viu milhões de americanos buscando benefícios de seguro-desemprego, à medida que a pandemia de coronavírus mantém a maior parte do país com as atividades suspensas.

A maioria dos componentes-chave da produção econômica dos EUA - incluindo os gastos do consumidor, que representam dois terços da atividade econômica - caiu acentuadamente.

- A economia está em queda livre, podemos estar nos aproximando de algo muito pior do que uma profunda recessão", disse Sung Won Sohn, professor de economia empresarial da Universidade Loyola Marymount, em Los Angeles. - É prematuro falar sobre uma recuperação neste momento, estaremos vendo muitas falências para pequenas e médias empresas.

O declínio no primeiro trimestre foi o maior ritmo de contração do PIB desde o primeiro trimestre de 2009.

Muitas fábricas e negócios não essenciais, como restaurantes e outros locais sociais, foram fechados ou operados abaixo da capacidade em meio a bloqueios em todo o país para controlar a propagação da covid-19, a doença respiratória potencialmente letal causada pelo vírus.