Pietro Fittipaldi usa simulador para seguir treinos em casa

Durante 2019, Pietro correu na DTM, série com carros de turismo na Alemanha (Matthias Hangst/Bongarts/Getty Images)

Assim como a maioria dos principais campeonatos esportivos mundiais, a Fórmula 1 também foi afetada pela pandemia do novo coronavírus. Na semana do GP da Austrália, abertura da temporada, dois membros da equipe da McLaren testaram positivo e a corrida acabou cancelada. Isso mudou totalmente a rotina de todos os envolvidos na categoria, incluindo o brasileiro Pietro Fittipaldi, piloto reserva da Haas, que conversou com o Yahoo Esportes.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Pietro estava na Europa e iria ao GP da Austrália, mas com a ascensão do vírus, a equipe passou a limitar o número de pessoas que viajaram até Melbourne. Com isso, ele acabou voltando para Davidson, na Carolina do Norte (EUA), onde reside com seus pais e dois irmãos - um deles, Enzo, é piloto da Academia da Ferrari e disputaria a Fórmula 3 nesta temporada.

Leia também:

Durante a quarentena, Pietro e Enzo ganharam um grande aliado para seguir os treinos: os simuladores.

"Na primeira semana, a gente não tinha nada em casa. Mas na segunda semana, a gente conseguiu instalar dois simuladores em casa, um para mim e outro para o Enzo. E a gente tem só treinado com simulador, mas muito treino", afirmou Piettro. "Eu tô fazendo as corridas virtuais para a Haas e a gente treina normalmente de seis a nove horas por dia. A gente faz para se divertir e no final, é um vídeogame, mas você quer ser competitivo, então você acaba treinando muito".

Apesar de ficar bastante aquém dos simuladores profissionais que as equipes usam, o simulador pode ajudar a manter o ritmo de treinos e até oferecer um teste diferente de foco para os pilotos.

"Acho bom ter o simulador em casa. Você se mantém ativo e até muda como você treina mentalmente", afirmou Pietro. "Eu tô lá usando o simulador, entra minha mãe ou minha irmã atrás falando no telefone. Tem essas coisas que vão te distrair durante uma corrida e por mais que você esteja no simulador, você vai se acostumando com isso".

Sem corridas, a Fórmula 1 tem mostrado GPs virtuais disputados na última edição de seu jogo, lançado em 2019. Pietro tem corrido pela Haas e até contou com Arthur Melo, meia do Barcelona, como seu companheiro em uma das etapas. Mas o ex-Grêmio não foi foi o jogador que mais surpreendeu o piloto, e sim, Thibaut Courtois, goleiro do Real Madrid e da seleção belga.

"Alguns deles são bem competitivos, o cara gosta bastante e tá sempre lá treinando. O Courtois, toda vez que eu entro no jogo, ele tá jogando. Dentre os jogadores de futebol, ele é o melhor. É um goleiro virando quase que o mesmo tempo de volta que a gente vira", disse.

Durante o período da quarentena, mais ligados aos jogos, Pietro e Enzo criaram um canal no Twitch, serviço de streaming para games, em que mostram corridas, jogos de Counter-Strike e até treinos físicos feitos na garagem de casa. "as vezes mostramos nossos treinos na garagem, tentando motivar o pessoal para treinar junto com a gente", disse o irmão mais velho.

Recomendação para a quarentena

Durante as entrevistas no isolamento social, o Yahoo Esportes pede que os atletas sugiram livros, filmes ou séries que eles estejam usando para passar o tempo. Com a palavra, Pietro Fittipaldi:

Eu tenho assistindo La Casa de Papel, mas a maioria do meu tempo é treinando. Para quem tem o simulador, deixo como dica entrar nas corridas online, só não pode viciar (risos).

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.