Piloto é sequestrado em helicóptero, luta com bandidos no ar e consegue impedir resgate em presídio no RJ

·3 minuto de leitura
  • Adonis foi sequestrado durante voo e ordenado a pousar no presídio de Bangu para resgate de detentos

  • O piloto tentou enganar os criminosos e entrou em luta física com eles

  • Ele conseguiu convencer os sequestradores a pousar em Niterói, de onde os criminosos fugiram

Um piloto da Polícia Civil do Rio de Janeiro virou herói no último domingo (19), ao impedir a ação de bandidos em um presídio. Sequestrado em um helicóptero, ele lutou com os criminosos dentro da aeronave, fez manobras arriscadas e conseguiu pousar sem nenhum dano a ele ou a outros envolvidos.

Adonis Lopes é policial civil há mais de 30 anos, mas nunca viveu uma experiência como a da tarde de domingo. Tudo começou quando foi chamado por um colega, que não sentia-se bem, para substitui-lo em um voo na região de Cabo Frio.

Leia também

Dois homens haviam contratado o passeio pela região e, no percurso da volta, renderam Adonis com dois fuzis. A ordem era clara: levar o helicóptero para resgatar detentos no Complexo Penitenciário de Bangu.

“Foram momentos tensos. Muitos pensamentos, ideias na cabeça. Mas o único pensamento que eu tinha com certeza era de que não ia pro presídio de jeito nenhum, era a última coisa que eu faria”, explicou o piloto à GloboNews.

Adonis precisou pensar e agir rapidamente para evitar ação dos bandidos - Foto: Reprodução
Adonis precisou pensar e agir rapidamente para evitar ação dos bandidos - Foto: Reprodução

Manobra para escapar dos bandidos

Adonis improvisou uma ação arriscada. Ele agiria como se estivesse indo ao complexo, mas desviaria para Batalhão da Polícia Militar, também na Zona Oeste do Rio, onde tentaria pousar a aeronave.

“Eu tentei fazer uma aproximação rápida para o campo, tinha diminuído a velocidade, baixado a altura. Queria jogar o helicóptero rapidamente em um campo de futebol, no qual já tinha pousado várias vezes, para chamar a atenção dos policiais que estavam no pátio. Mas eles perceberam”, relatou.

Foi aí que começou uma luta física entre o policial e os dois homens armados. Um vídeo gravado por testemunha mostra o helicóptero “dançando” no ar, justamente por conta do enfrentamento entre o piloto e os criminosos.

“Um dos bandidos me deu uma gravata e começou aquela luta. Eu tentando pousar, ao mesmo tempo tentando evitar que a aeronave colidisse com os obstáculos que tinha ali no local. Em determinado momento, eles meio que desistiram de lutar, consegui retomar o comando da aeronave. Eles ficaram meio confusos, atônitos pelas manobras todas, e pediram que eu levasse eles até Niterói”, comentou.

Conversas e pouso em Niterói

Adonis conseguiu convencer os suspeitos de que a ida ao presídio não seria benéfica para ninguém. “Expliquei que foi a melhor coisa não ter acontecido aquilo, que mataria todo mundo, que eles também tinham família. Tudo para diminuir o ímpeto que estavam e evitar que fizessem disparos contra mim.”

Conforme ordenado, o piloto, então, levou o helicóptero para Niterói, ainda temeroso por uma possível retaliação dos bandidos, que não aconteceu.

“Foi tudo muito rápido. Eu pousei, fiquei pronto para decolar. Eles saíram rapidamente, eu também saí rápido e fui para o Grupamento Aeromóvel para chamar o pessoal e tentar localizar os bandidos”, completou.

O caso foi registrado na Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (DRACO),que abriu investigação. Após o ocorrido, os criminosos fugiram para o meio do mato e ainda não foram localizados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos