Pilotos da TAP em protesto

Cerca de 500 pilotos, de folga ou fora de serviço, da TAP manifestaram-se, esta terça-feira, em frente ao Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

O protesto foi convocado pelo Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil e serviu para protestar contra aquilo que dizem ser os "atropelos e injustiças" da administração da companhia aérea e do Governo português.

Em causa, estão as recusas do Conselho de Administração da TAP Air Portugal para a realização de reuniões de trabalhadores e a falta de reposição dos cortes salariais depois da reestruturação.

O piloto Tiago Faria Lopes, Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil refere que "esta empresa, esta gestão, está a levar a empresa ao mesmo destino do que a Flybe. A Flybe, foi uma empresa que entrou em falência, cuja CEO foi Christine Ourmières-Widener... Não queremos esse destino e o Ministro Pedro Nuno Santos está a colaborar com esta direção. Não podemos continuar assim, não queremos fechar a TAP. Somos todos contribuintes, todos nós aqui... Pergunto-vos, algum de vós tem conhecimento do Plano de Reestruturação da TAP? Tudo o que a TAP faz, toda a gestão, desastrosa ou não, está dentro do Plano de Reestruturação... Pergunto se alguém conhece o plano?"!

Em comunicado, a TAP diz lamentar não ter ainda chegado a acordo com os pilotos, que considera "essenciais à companhia", e "mantém-se empenhada em encontrar soluções que permitam garantir a sustentabilidade da empresa e de todos os seus trabalhadores”.

Na segunda-feira Sindicato Nacional do Pessoal de Voo anunciou que vai pôr a TAP em tribunal pois entende que a companhia não está a cumprir as cláusulas do acordo de empresa ligadas à estabilidade operacional e familiar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos