Pior enchente na Malásia em sete anos desabriga mais de 29 mil pessoas

·2 min de leitura

Mais de 29 mil pessoas já tiveram que deixar suas casas na Malásia desde sexta-feira (17) até este domingo (19) devido à pior enchente do país em sete anos, de acordo com informações do governo.

As chuvas torrenciais que caem desde sexta-feira neste país do Sudeste Asiático, acostumado às tempestades de monções no final do ano, têm causado enchentes nos rios, inundando áreas urbanas e impedindo o trânsito nas principais estradas.

Um site do governo relata mais de 22 mil vítimas das enchentes em oito estados do país, incluindo mais de 10 mil no estado de Pahang, no centro da Malásia.

O primeiro-ministro Ismail Sabri Yaakob demonstrou surpresa ao ver o estado mais rico do país, Selangor, que circunda a capital Kuala Lumpur, atingido pelas enchentes, obrigando mais de 5 mil pessoas na região a deixarem suas casas.

"A quantidade de chuva que caiu ontem (sábado, 18) em Selangor, que caiu em um único dia, normalmente cai durante um mês", disse ele em entrevista coletiva neste domingo, prometendo ajuda rápida às vítimas das enchentes e um fundo de emergência de 100 milhões de ringgit (cerca de R$ 134 milhões).

Ainda de acordo com o site do governo, os níveis de água permaneciam perigosos na manhã deste domingo em seis estados do centro e do nordeste do país. Apesar de o volume de precipitações ter diminuído em algumas áreas, o serviço meteorológico nacional adverte que as chuvas devem continuar em partes de Pahang.

A Malásia viveu suas piores enchentes em 2014, forçando 118 mil pessoas a deixarem suas casas.

(Com informações da AFP)


Leia mais

Leia também:
Supertufão Rai atinge Filipinas e provoca fuga de milhares de pessoas
Louisiana vai demorar a se recuperar após passagem de furacão Ida, mas prevenção fez diferença
“É melhor estar molhado do que morto”, dizem haitianos após terremoto seguido de tempestade tropical

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos