Piscinas da Baixada Fluminense são solução acessível para se refrescar no verão, longe das praias

Cíntia Cruz
As crianças se divertem na água, sob a supervisão de um salva-vidas

Se as praias estão muito distantes, as piscinas e clubes têm sido uma solução mais barata e acessível na Baixada Fluminense neste verão.

Moradora de Vila da Penha, a empreendedora Denise de Souza Monteiro, de 52 anos, escolheu a Piscina do Mikita, em Duque de Caxias, para confraternizar com os funcionários do seu salão de festas. O grupo de 11 pessoas levou carne, carvão e utilizou uma das 13 churrasqueiras disponíveis para os frequentadores.

— Estive aqui pela primeira vez no dia 31 de dezembro com minha mãe e minha tia, que mora nesta rua. Gostei da atenção dos funcionários, principalmente com os idosos, e decidi reunir todo mundo aqui — contou Denise.

A possibilidade de chuva não espantou a encarregada de embalagem Maria da Guia Santos, de 42 anos. De Piedade, ela levou o marido, o filho e a amiga para curtir:

— Na praia, a gente fica de olho nas ondas e nas crianças. Aqui, mesmo cheio, não precisa se preocupar.

A área existe há 34 anos, mas foi reaberta há cinco, após reformulação. Tem duas piscinas para crianças, com brinquedos, e uma para adultos. Também conta com sete socorristas, e parte de seu abastecimento vem da captação de água da chuva. Adultos pagam R$ 15 nos fins de semanas e feriados, e R$ 10 de terça a sexta-feira. Crianças pagam sempre R$ 5.

Aroldo Pinheiro Dias, o Mikita, diz que a procura pelo espaço triplica no verão:

— Dá cerca de 1,5 mil frequentadores num domingo. Fora da temporada, recebemos de 500 a 600 pessoas.

Em Nova Iguaçu, uma das mais tradicionais é a Piscina 2 Irmãos, que reabriu há um mês. No bairro Adrianópolis, o local utiliza a água que vem das cachoeiras da região. Funciona diariamente, com entrada a R$ 10 (crianças de até um metro não pagam). O espaço é um dos preferidos do vigia David José da Silva, de 52 anos.

— Trabalho em Copacabana, ao lado da praia, mas não gosto de mar. Sair de casa e pegar duas conduções para a praia é muito cansativo. Se for de carro, não dá para beber. Estou de férias este mês e prefiro ir a esses sítios. Tem vários por aqui — detalha.

Administrador do espaço, Antônio Mora, o Espanhol, destaca os encantos do local:

— Aqui a água é gelada porque vem da cachoeira. A pessoa sai do calor de casa e, quando chega, gosta do clima. Os pais não se preocupam porque tem socorristas na piscina e monitores no parquinho. À tarde, ainda oferecemos shows de forró ou pagode.