Pivô de crise na Alerj, Tristão viaja com Witzel para os Estados Unidos na visita do governador ao FBI

Paulo Cappelli

Pivô da crise envolvendo o Palácio Guanabara e a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), o secretário de Desenvolvimento Econômico, Lucas Tristão, parece ter seu prestígio inabalado com o governador Wilson Witzel. Acusado por deputados estaduais de espionar parlamentares, Tristão, que nega a versão, é o único secretário a acompanhar Witzel na viagem aos Estados Unidos que tem como principal objetivo "aprimorar técnicas de investigação" com o FBI. Os dois participaram também de evento na Agência de Comércio e Desenvolvimento dos EUA.

Nesta quarta-feira, o governo estadual e o FBI firmaram, nos EUA, uma parceria para trocar experiências e aprimorar técnicas de investigação e inteligência, com o intercâmbio de treinamentos e informações. No ano passado Witzel já havia recebido no Palácio Guanabara uma delegação oficial do FBI liderada pela diretora-executiva Amy Hass. Nesta quinta, o governador participou do 6º Encontro de Magistrados Brasil-Estados Unidos e, depois, encontrou o secretário-adjunto para Assuntos do Hemisfério Ocidental do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Kevin O'Reilly, para conversar sobre temas como energia e segurança pública.

VEJA: Depoimento de secretário acusado de espionar deputados da Alerj está marcado para março

Como Witzel só pegará o voo de volta para o Brasil no domingo, não assistirá ao Desfile das Campeãs, na Sapucaí, no sábado — o protagonismo do camarote do governo estadual deverá ficar por conta do vice, Cláudio Castro (PSC). carnaval