Pix permitirá saque em dinheiro em mercados e lojas a partir de 2021

Pollyanna Brêtas
·3 minuto de leitura
As operações começam no dia 16 de novembro
As operações começam no dia 16 de novembro

O Banco Central (BC) deve lançar somente no primeiro semestre de 2021 a funcionalidade permitirá que usuários solicitem saques de sua própria conta corrente em qualquer estabelecimento comercial, como mercados e lojas, através do Pix. A operação de saque integra uma lista com outros 15 novos recursos também previstos para 2021. O saque via Pix permitiria que o usuário efetuasse a retirada em qualquer estabelecimento, compensando o varejista com uma transferência Pix.

Para efetuar um saque por meio do Pix, o consumidor, ao chegar no caixa de um estabelecimento autorizado, deverá informar que deseja realizar o saque de um determinado valor por meio do sistema do BC. Dessa forma, o atendente escolhe tal opção na maquina de cartão, que exibirá um QR Code na tela. A seguir, o usuário usa o smartphone para ler esse código e realizar o pagamento da quantia que ele deseja sacar em espécie, mais a tarifa cobrada pelo procedimento. Confirmada a operação, o atendente separa o dinheiro do caixa e entrega ao cliente.

Leia também:

Saiba como cancelar a chave PIX em caso de desistência

Chave Pix com o CPF ou CNPJ é considerada mais segura para cadastro

Além de diminuir os custos de manejo, o BC espera que essa funcionalidade diminua a dependência do consumidor em relação aos caixas eletrônicos para ter acesso ao dinheiro em espécie, uma vez que esses terminais têm distribuição precária em muitos pontos do Brasil. Além disso, ainda que o BC não tenha confirmado, a tendência é que as tarifas de saque sejam menores que as cobradas pelo sistema bancário do país.

O Banco Central ainda não detalhou os custos desta operação para os consumidores e o limite de saques que será permitido. Mas o órgão analisa ainda a implementação do chamado API Pix para pagamentos entre empresas; a cobrança Pix, para recebimento no modelo de boletos; o pagamento com documentos, para compras e transferências de posses de ativos (como carros, imóveis e outros bens) e ainda a compra parcelada no débito.

Esse último é o “Pix garantido”, onde o sistema de pagamento instantâneo efetua compras com parcelamento em débito e pagador não terá a possibilidade de cancelar o pagamento, garantindo que o vendedor receberá os valores nas datas estipuladas. Para essa ferramenta, ainda não há previsão para o lançamento.

chamada Castelar

Para Priscilla Santos, advogada de Bancário e Financeiro do Tauil & Chequer Advogados, além do pagamento instantâneo e sem custo para o consumidor, o varejista também será beneficiado porque receberá os recursos na hora, e não terá que esperar prazos de até a 30 dias para o pagamento das compras:

— As compras usando Pix serão uma grande revolução do mercado. O usuário pode pagar algumas formas como direto pelo pix ou através de QR Code. No futuro saque usando Pix, o usuário transfere recursos para o varejista da conta dele, e já poderá sacar o dinheiro na loja. Para os comerciantes e lojistas, o dinheiro instantâneo na conta diminui a necessidade de crédito — ressalta Priscilla.

Segundo a advogada, uma nova ferramenta lançada pelo Banco Central permitirá transações via Pix até mesmo sem que um dos usuários tenha conta bancária:

— BC também lançou o chamado "iniciador de transação de pagamento", ou seja, o usuário consegue iniciar uma transação sem ter uma conta através do Pix diretamente para o varejista com intermediário — explica a advogada.