PL terá reunião para discutir entrada de Jair Bolsonaro no partido

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Jair Bolsonaro e Valdemar Costa Neto tinham confirmado filiação para o dia 22, mas evento foi adiado, sem nova data (Foto: Reprodução)
Jair Bolsonaro e Valdemar Costa Neto tinham confirmado filiação para o dia 22, mas evento foi adiado, sem nova data (Foto: Reprodução)
  • PL deve ter reunião na próxima quarta-feira (17) para discutir filiação de Bolsonaro

  • Partido vai avaliar possível impacto da entrada no presidente para as disputas estaduais

  • Filiação estava marcada para dia 22 de novembro, mas foi desmarcada, sem nova previsão de data

Valdemar Costa Neto, presidente nacional do PL, convocou uma reunião com dirigente nacionais e lideranças do partido no Congresso Nacional na próxima quarta-feira (17). Segundo o portal Metrópoles, o encontro acontecerá em Brasília.

A ideia da reunião é discutir a possível filiação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) – inicialmente marcada para dia 22 de novembro, mas desmarcada sem previsão de nova data.

De acordo com o colunista Igor Gadelha, o partido deve debater qual será o impacto da entrada de Bolsonaro no partido nos estados. Além da eleição presidencial, 2022 também terá eleições governamentais. O PL, então, quer entender como o presidente vai movimentar a política estadual.

A disputa partidária em São Paulo seria um dos principais motivadores do desentendimento entre Valdemar Costa Neto e Jair Bolsonaro. O PL se comprometeu a apoiar Rodrigo Garcia (PSDB), vice de João Doria (PSDB). Bolsonaro não aceita dividir palanque com Doria, que pode ser adversário do atual presidente em 2022, e gostaria de ter o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, como candidato.

Expectativa de resolução rápida

Em Dubai, na última segunda-feira (15), Bolsonaro afirmou que quer resolver rapidamente a situação com o PL. Ao falar com a imprensa em Dubai, na saída da Expo 2020, Bolsonaro estimou que deve bater o martelo em até três semana, mas a expectativa é filiar-se ao partido.

“Eu espero em pouquíssimas semanas, duas, três, no máximo, casar ou desfazer o noivado. Mas eu acho que tem tudo para a gente casar e ser feliz”, afirmou.

Segundo Bolsonaro, o grande desentendimento entre ele o partido é, de dato, a corrida eleitoral em São Paulo. O PL se comprometeu em apoiar Rodrigo Garcia (PSDB), vice de João Doria (PSDB). Bolsonaro não gostaria de se envolver politicamente com os tucanos.

“O que acontece: alguns estados, que para mim, para a possível eleição, se eu vier a ser candidato, são vitais, como São Paulo. Ele tem um compromisso em São Paulo, que tem mais de 30 milhões de eleitores”, disse.

No entanto, especula-se que haja um racha entre os filhos do presidente. Enquanto Flavio Bolsonaro defende a filiação do pai ao PL, Carlos Bolsonaro tem recolhido informações de que o partido, cujo presidente foi preso por envolvido no Mensalão, afetaria a imagem de Jair Bolsonaro. Segundo a jornalista Andreia Sadi, do g1, Carlos estaria enviando relatórios semanais ao pai.

Após a exposição da insatisfação de Bolsonaro, o presidente e Valdemar Costa Neto teriam trocado ofensas por mensagem. “VTNC você e seu filho”, teria escrito Valdemar, segundo o site O Antagonista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos