Placa Mercosul passa a ser obrigatória no Brasil a partir de 31 de janeiro

Placa Mercosul se torna obrigatória no fim de janeiro

A partir do dia 31 de janeiro, a placa Mercosul será obrigatória em todo o país. O novo modelo deveria entrar em vigor em janeiro de 2016, mas a mudança foi adiada por seis vezes. O novo prazo foi determinado para que os órgãos estaduais de trânsito pudessem credenciar fabricantes. Agora, a nova placa entra em uso com menos componentes de segurança que o previsto e com valor mais barato que o previsto inicialmente.

Dos 26 estados brasileiros, apenas dez já haviam aderido à nova Placa de Identificação Veicular (PIV): Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Rondônia. No Distrito Federal, o modelo só passa a ser obrigatório no dia 1º de fevereiro.

Não são todos os veículos que previsarão fazer a adequação. A nova placa será obrigatória apenas nos casos de primeiro emplacamento e caso haja necessidade de reposição da placa antiga, por exemplo: por mudança de município ou unidade federativa; por roubo, furto, dano ou extravio da placa, ou quando há necessidade de instalação da segunda placa traseira.

O novo formato tem quatro letras e três números, o inverso do modelo atualmente adotado no país com três letras e quatro números. Outra novidade é a cor branca de fundo e as diferentes cores das letras. O preto será usado para veículos de passeio; o vermelho para veículos comerciais; o azul para carros oficiais; o verde para veículos em teste; o dourado para os automóveis diplomáticos; e o prateado para os veículos de colecionadores.

As placas ainda estarão equipadas com um código de barras semelhante a um QR Code, contendo números de série e acesso às informações do banco de dados do fabricante e estampador da placa. Porém, ao contrário do projetado inicialmente,  o modelo não terá ondas sinusoidais nem inscrições com efeito difrativo. Com isso, ao invés de custarem R$ 219,35, a troca para o modelo Mercosul deve custar cerca de R$ 179,84 para veículos e R$ 55,05 para motocicletas.

Ainda é possível fazer a troca de placa mesmo que não haja necessidade. Para isso, o motorista deve pagar possíveis débitos referentes a multas vencidas ou a vencer, seguro obrigatório, IPVA (integral), e a GRT. Para depois ir a uma unidade de veículos para realizar o emplacamento, sem necessidade de agendamento.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra (21 99644 1263)