Planalto instala painel de apoiador de Bolsonaro com lema da campanha de 2018

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO*brASILIA, DF,  BRASIL,  22-10-2021, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia Paulo Guedes durante coletiva de imprensa na tarde de hoje, na sede do ministério. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO*brASILIA, DF, BRASIL, 22-10-2021, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia Paulo Guedes durante coletiva de imprensa na tarde de hoje, na sede do ministério. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mandou instalar no térreo do Palácio do Planalto um painel doado por um apoiador, cujo título é o lema de campanha eleitoral de 2018: "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos".

O quadro tem 2,51 metros de altura por 10 metros de largura e foi colocado em uma parede de granito preto no palácio. O espaço é privilegiado, uma vez que visitantes têm acesso e quem chega ao local, normalmente, passa por ali.

Em um vídeo gravado ao lado do artista Heinz von Haken Budweg e publicado nas redes sociais, Bolsonaro diz: "Nós vamos deixar em um local aberto ao público, até para mostrar que isso, sim, é uma arte de verdade".

"Isso é obra de arte, pessoal, tá ok?", completou, ao lado do artista alemão naturalizado brasileiro.

Segundo o presidente, o quadro mostra, "de ponta a ponta, o Brasil". A obra, com cores vivas, retrata, entre outras coisas, tucanos, onças pintadas, indígenas, bandeirantes e um militar.

O quadro foi colocado onde até então estava a vitrine com a exposição dos trajes da posse de Bolsonaro e da primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

Na ocasião, o Planalto chegou a fazer uma solenidade para o terno do presidente e do vestido de Michelle. Desta vez, não houve cerimônia.

Segundo relatos, foi o próprio artista que sugeriu colocar o painel no térreo no Planalto.

Na véspera dos atos de raiz golpista de 7 de Setembro, Bolsonaro foi falar com apoiadores que estavam na frente do palácio e recebeu de presente uma estátua de madeira de si próprio.

Em seu gabinete, também, o chefe do Executivo coleciona peças e presentes que considera obras de arte. Dentre elas, um retrato dele mesmo em preto e branco, doado por um apoiador, e diversas imagens de motociatas enquadradas.

Nas paredes de sua sala no terceiro andar do Planalto, o chefe do Executivo também tem um quadro com uma foto de quando fez um gol na Vila Belmiro, em dezembro de 2020. A partida, na época, foi alvo de críticas por ter sido transmitida pela TV Brasil.

Pequenas estátuas de militares, uma menorá (castiçal judaico) e uma estátua de Nossa Senhora também estão entre os objetos expostos pelo presidente no seu gabinete. Há ainda um quadro do casamento dele e da primeira-dama.

Com a posse de Bolsonaro, obras de arte com imagens sacras foram transferidas do Palácio da Alvorada, onde o presidente mora com sua família, para o Palácio do Jaburu, da vice-presidência.

As trocas das peças de simbologia católica, como um par de anjos barrocos tocheiros, segundo relatos feitos à época, teriam sido a pedido da primeira-dama, frequentadora da Igreja Batista Atitude, no Rio de Janeiro. As denominações evangélicas não veneram esculturas de santo.

Uma das imagens que foi para o Jaburu é uma representação em madeira de Santa Bárbara, do século 18.

O vice-presidente Hamilton Mourão confirmou o recebimento da escultura. "Ela é, inclusive, padroeira da artilharia", disse ao jornal Folha de S.Paulo, na época.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos