Planalto negocia cargos de segundo escalão com PV, Patriota e Avante

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha (PT-SP), e o futuro líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), debateram nesta quinta-feira a indicação de cargos de segundo escalão com PV, Avante e Patriotas. Na próxima segunda-feira, o governo deve dar uma reposta sobre quais espaços serão ocupados por essas legendas

Os representantes dos partidos, que somam 18 deputados, entregaram uma relação de cargos e órgãos que poderiam ser ocupados. Os integrantes das siglas também apoiaram o pleito de André Janones (Avante-MG) para ser presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), caso essa vaga seja destinada ao PT a partir da formação dos blocos que serão formalizados em fevereiro.

Da parte dos partidos aliados, participaram da reunião, além de Janones, Luís Tibé (Avante-MG), Fred Costa (Patriota-MG), Aliel Machado (PV-PR) e José Luiz Penna (PV).

— O PV fez uma federação e faz parte do projeto do governo. Agora, colocamos à disposição os quadros para participar. Na reunião, deixei claro que não fazemos parte de um grupo fisiológico. O PV não tinha ainda sido convidado, e isso estava muito ruim e criando uma situação difícil. Precisávamos que o governo nos dissesse qual espaço teríamos. Ajudamos, temos bons quadros. Levamos uma listagem. E falamos que nesses espaços podemos contribuir — disse Aliel Machado ao GLOBO.

O parlamentar falou ainda sobre algumas das prioridades do PV.

— Listamos, por exemplo, o Iphan. Temos uma força cultural interna. Nosso nome é o Leandro Grass, que tem formação na área. Colocamos a Conab, tem uma ligação social importante. O Incra, que tem um papel importante na fundamentação da esquerda. Sobre os lugares que pedimos, são os lugares ligados a programas e ações.