Planalto tenta emplacar nome independente no comando da CPI da Pandemia para evitar oposição

Julia Lindner
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — Em minoria na CPI da Pandemia, o governo tenta evitar nomes hostis no comando e na relatoria do colegiado. Após a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito, imposta por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), governistas tentam viabilizar parlamentares independentes para evitar um oposicionista declarado na presidência. Como é de praxe, diversas opções começam a ser testadas nos bastidores, mas a disputa só deve afunilar nos próximos dias.

Um dos cotados para presidir o colegiado é o senador Omar Aziz (PSD-AM). Embora considerado independente, Aziz também integra um partido aliado ao Planalto. De acordo com relatos de parlamentares, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), trabalhou pela escolha do amazonense ao longo da quarta-feira.