Plataforma aponta concentração de doações para homens brancos da campanha

Brazil's President Jair Bolsonaro speaks at a rally during his campaign as a presidential candidate in the national elections in Sao Jose dos Campos, Brazil August 18, 2022. REUTERS/Carla Carniel
Jair Bolsonaro durante ato de campanha: eleições no Brasil ainda são majoritariamente branca e masculina. Foto: Carla Carniel/Reuters

Um boletim divulgado pela plataforma 72horas, que acompanha a distribuição de recursos do fundo eleitoral e partidário na campanha, mostra uma concentração dos repasses para candidatos homens e brancos a menos de um mês da votação.

Até o momento, apenas 36% das candidaturas registradas no Tribunal Superior Eleitoral declararam ter recebido algum recurso de doações para a campanha. Desses, 87% foram declarados por candidaturas masculinas e 69%, por postulantes brancos.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

O dado, segundo a plataforma, expressa a concentração de recursos em uma campanha na qual 48,8% dos candidatos se declaram brancos.

As candidaturas negras representam 49,5% dos registros, mas até agora elas declararam ter recebido apenas 32% do total do Fundo Especial de Financiamento de Campanhas.

Pela lei, os partidos têm obrigação de destinar 50% do recurso público a essas candidaturas.

A iniciativa levantou que a cada R$ 1 do fundo eleitoral acessado por homens e brancos, apenas R$ 0,06 foram declarados por mulheres negras e R$ 0,004, por indígenas.

O valor de doações registradas até o meio da semana era de R$ 2.273.540.399 e beneficiaram 10.302 candidaturas.

Os números escancaram o fosso entre a classe política e o restante do país quando o assunto é representatividade.

A disputa pela Presidência possui duas candidatas competitivas (ao menos com estrutura partidária e tempo de TV considerável): Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (União Brasil).

Nenhuma delas é favorita na disputa, que não tem candidatos negros.

Segundo o último Datafolha, os dois candidatos favoritos, que hoje se confrontariam no segundo turno, possuem quase 80% das intenções de voto. Lula (PT) e Bolsonaro (PL) escolheram homens para compor a chapa: Geraldo Alckmin (PP) e Braga Netto (PL), respectivamente.

A disputa nos estados também mostra domínio de candidaturas masculinas –a única governadora eleita que agora busca um novo mandato é Fátima Bezerra (PT), do Rio Grande do Norte.

Mais da metade dos eleitores (52,5%), as mulheres ocupam apenas 15% das vagas no Congresso na atual legislatura.

Atualmente, dos 513 deputados, apenas 124 se declaram negros –no Senado, são 13 de 81.

O destino dos repasses mostra que a baixa representatividade não é resultado de baixo interesse por política nesses grupos.

Os eleitores podem acompanhar a distribuição dos recursos públicos entre os candidatos em https://72horas.org/