Plataforma de tokenização de imóveis estreará em novembro no Brasil

O objetivo com a chegada da plataforma de tokenização é democratizar o acesso de investidores ao setor imobiliário e reduzir as barreiras de acesso a esse mercado (Getty Creative)
O objetivo com a chegada da plataforma de tokenização é democratizar o acesso de investidores ao setor imobiliário e reduzir as barreiras de acesso a esse mercado (Getty Creative)
  • Kodo Assets realizará sua primeira oferta pública de tokens no Brasil em novembro;

  • Tokens estarão atrelados a um imóvel comercial localizado na região da Avenida Faria Lima e o valor total da oferta será de R$ 3,5 milhões;

  • Os proprietários dos tokens poderão receber os dividendos proporcionais à sua participação relativos aos aluguel do imóvel.

A Kodo Assets, startup brasileira focada na tokenização de imóveis, realizará sua primeira oferta pública de tokens no Brasil em novembro. O objetivo, de acordo com o portal Cointelegraph Brasil, é "democratizar o acesso de investidores ao setor imobiliário, contribuir para o aumento de liquidez e reduzir as barreiras de acesso a esse mercado".

De acordo com a reportagem, os tokens estarão atrelados a um imóvel comercial localizado na região da Avenida Faria Lima e o valor total da oferta será de R$ 3,5 milhões. O espaço hoje está locado à empresa SulAmérica Seguros.

Os proprietários dos tokens poderão receber os dividendos proporcionais à sua participação relativos aos aluguel do imóvel e 6% do valor referente à correção anual do contrato de locação pelo IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado). O montante arrecadado será repassado à Kodo como dividendos.

Em entrevista ao portal, o CEO da Kodo Assets, Ciro Imamura explicou como funcionará a operação. “O titular do token Kodo terá direito a receber os dividendos dos aluguéis relativos a essa propriedade, na proporção de sua participação nos tokens versus o total de tokens emitidos pelo projeto e uma eventual venda do imobiliário subjacente, o que pode gerar um ganho de capital interessante".

Popularização

Os tokens não fungíveis (NFTs), um tipo de ativo digital, explodiram em popularidade este ano, com as obras de arte neste formato sendo vendidas por milhões de dólares. A tendência está fazendo muitos se perguntarem por que tanto dinheiro está sendo gasto em itens que só existem em formato digital e podem ser vistos por qualquer pessoa gratuitamente na Internet.

Os NFTs geralmente são comprados com criptomoedas, ou em dólares, e o blockchain mantém um registro das transações. Embora qualquer pessoa possa visualizá-la, apenas o comprador tem o status de proprietário oficial. Por outro lado, comprar um NFT de uma imagem ou vídeo normalmente não significa que o comprador obtém os direitos autorais do item em questão.

Negociados desde cerca de 2017, os NFTs cresceram em popularidade no início de 2021 e tiveram outro salto explosivo por volta de agosto. Os volumes de vendas subiram para US$ 10,7 bilhões no terceiro trimestre de 2021, de acordo com dados do rastreador de mercado DappRadar. Isso aumentou mais de oito vezes em relação ao trimestre anterior, segundo a agência Reuters.