Plataforma tira do ar site que tratou urnas como inseguras, e jornalista aponta censura

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 22.08.2022 - Ensaio das urnas eletrônicas armazenadas na 1ª Zona Eleitoral de São Paulo. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 22.08.2022 - Ensaio das urnas eletrônicas armazenadas na 1ª Zona Eleitoral de São Paulo. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O site Vespeiro, abastecido pelo jornalista Fernão Lara Mesquita, ex-diretor de O Estado de S. Paulo e comentarista do programa "Os Pingos nos Is", da Jovem Pan, foi retirado do ar após a publicação de vídeos que tratam as urnas eletrônicas como inseguras e fazem críticas a Alexandre de Moraes, ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

O blog saiu do ar nesta segunda-feira (14). O endereço agora leva a uma página do WordPress, a plataforma que abriga o site, com uma mensagem informando que o blog foi "arquivado ou suspenso" conforme os "nossos termos de serviço".

"Se descobrirmos que o seu site ou seu conteúdo infringe as nossas políticas, nós removeremos o conteúdo, desativaremos algumas funcionalidades de sua conta e/ou suspenderemos todo o site", diz a plataforma.

Lara Mesquita tomou conhecimento de que o Vespeiro estava fora do ar na tarde desta segunda, e já acionou um advogado para tentar descobrir o que aconteceu. O jornalista afirmou que não recebeu nenhuma notificação do WordPress com a razão da suspensão do site e, questionado se estaria sofrendo censura, ele respondeu dizendo "o que mais seria?".

As últimas publicações continham vídeos em que Lara Mesquita chamava Alexandre de Moraes de "policial que se arvora em ditador no Supremo Tribunal Federal", dizia que as manifestações contrárias ao resultado das eleições são justas e que o relatório apresentado pelas Forças Armadas teria confirmado que as urnas são inseguras "como toda ferramenta de informática", afirmado que é impossível saber se as votações aferidas pelas urnas "são ou não isentas de fraude".

Também chamava as Forças Armadas a irem ao Congresso para pressionar pelo "fim da censura".

Para a PGR (Procuradoria-Geral da República), não há no relatório do Ministério da Defesa sobre a fiscalização das eleições fato concreto que justifique a abertura de uma apuração sobre as urnas eletrônicas.

Usadas no país desde 1996 sem nenhum registro de fraude até hoje, as urnas eletrônicas e o sistema eleitoral brasileiro têm passado por constantes melhorias, pleito após pleito.

Os vídeos, que ainda estão disponíveis no YouTube, foram publicados na última sexta (11). Na página que explica a suspensão do Vespeiro, o WordPress afirma que "comete erros de vez em quando", e que é possível contestar o arquivamento do site a partir de um formulário disponível no site.