PlayStation 6 deve ser lançado após 2027, apontam advogados da Sony

Sony diz que PlayStation corre risco de não receber franquias da Activision Blizzard em processo no Reino Unido
Sony diz que PlayStation corre risco de não receber franquias da Activision Blizzard em processo no Reino Unido
  • Informação foi obtida através de falas judiciais em processo no Reino Unido;

  • Sony quer impedir compra da Activision Blizzard pela Microsoft;

  • Empresa diz que PlayStation 6 pode não receber títulos da Activision, como a franquia Call of Duty.

Os advogados da Sony afirmaram em um documento oficial que a Sony planeja lançar a próxima versão de seu console de videogame, o PlayStation 6, depois do ano de 2027.

Se a informação parece estranha vir por meio de advogados e não por porta-vozes ou executivos, é porque ela foi dita no meio da batalha judicial que a empresa japonesa trava no Reino Unido, para impedir a fusão da sua rival no setor, Microsoft, com a Activision Blizzard, estúdio de produção de jogos.

A Sony argumenta que a compra do desenvolvedor pela Microsoft ameaça a livre competição no setor, afirmando que a empresa poderia tornar franquias famosas, como o Call of Duty, exclusivos ao Xbox, dando uma vantagem injusta à empresa americana.

Em resposta a essas preocupações, a Microsoft prometeu manter a franquia de jogos de guerra aberta nas duas plataformas até 2027, mas a Sony continuou a pressionar pelo cancelamento do acordo. Em resposta, a gigante japonesa afirmou que o prazo de 2027 significaria que a próxima geração de consoles do PlayStation poderá ser lançada sem nenhum título Call of Duty, colocando a empresa em desvantagem.

Isto sugere que o PlayStation 6 será lançado somente após essa data. Não há nenhuma indicação de que os advogados da Sony tenham informações sobre o desenvolvimento de um novo console, e a estimativa apresentada pode ser baseada no tempo de lançamento anteriores de novos consoles, mas isso ao menos sugere que a empresa já está preocupada com as novas gerações de seu console.

“A Microsoft se ofereceu para continuar disponibilizando os jogos da Activision no PlayStation apenas até 2027”, diz o registro da Sony no CMA, órgão regulador do mercado do Reino Unido. “No momento em que [Sony] lançasse a próxima geração de seu console PlayStation (o que provavelmente ocorreria em [redigido]), ela teria perdido o acesso a Call of Duty e outros títulos da Activision, tornando-a extremamente vulnerável à troca do consumidor e subsequente degradação de sua competitividade”.