'Pluft, o fantasminha': clássico de Maria Clara Machado é adaptado ao teatro de bonecos

Criado por Maria Clara Machado em 1955, “Pluft, o fantasminha” se tornou um dos maiores sucessos do teatro infantil nacional. Passou por diversas montagens no teatro, virou livro e foi adaptado para os cinemas, ganhando até mesmo uma versão 3D, em 2020. Neste mês, recebeu espaço no Globoplay como minissérie. Mas, agora, a clássica história do fantasminha que tem medo de gente foi transformada por Miguel Vellinho para encenação pela Cia PeQuod, reconhecida pelo seu trabalho com fantoches.

Dessa vez, a peça está cheia de referências à cultura japonesa, como os mangás e animes infantis, e aposta em uma iluminação cheia de efeitos especiais. Para impressionar os espectadores mirins, a PeQuod elaborou um jogo de luzes que muda a cor dos sentimentos dos personagens. Tanto os atores-manipuladores quantos os bonecos usam trajes de inspiração oriental.

A nova versão mantém o enredo de Machado, mas investe em pequenas correções. Pluft, um fantasminha tímido, vai encarar seu medo de gente ao resgatar Maribel das mãos do pirata Cara de Mau, que, na versão original, era conhecido como Perna de Pau. A mudança de nome partiu de um olhar menos capacitista sobre o personagem, buscando chamar atenção para uma característica que foge à sua condição física.

Rua Barão de Mesquita 539, Tijuca. Sáb e dom, às 16h. Ingressos a partir de R$ 5. Até 12 de fevereiro.