PM é morto a tiros após emboscada em Campo Grande; polícia investiga o caso

·1 minuto de leitura

Um policial militar foi morto a tiros na tarde deste sábado em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. O subtenente Luciano de Jesus Hipólito, lotado no 20° BPM (Mesquita), passava numa picape blindada, quando foi alvo de dezenas de disparos. A munição, que seria de calibre 7.62, atravessou a blindagem.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o desespero de moradores que passavam pelo local na hora da emboscada. Na gravação é possível ouvir dezenas de disparos em sequência.

Em nota, a Polícia Civil afirmou que a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) foi acionada para verificar as circunstâncias da morte do policial, e que a perícia já foi realizada no local. De acordo com a DH, As investigações estão em andamento para esclarecer a autoria e a dinâmica do crime. Procurada, a Polícia Militar ainda não se pronunciou sobre o caso.

O subtenente respondia desde 2003 pela execução de um homem durante uma incursão no Morro do Quieto, no Sampaio, e seria julgado este ano. Em 2007, o então cabo Luciano de Jesus Hipólito recebeu uma Moção de Aplausos e Congratulações na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), de autoria do ex-deputado Natalino — condenado por, ao lado do irmão Jerominho, chefiar uma das maiores milícias do Rio na Zona Oeste, e que agia sobretudo em Campo Grande. A homenagem justifica-se "pelos relevantes serviços prestados, sendo exemplo de dedicação e dignidade, pela eficiência e competência no exercício de suas funções.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos