PM abre investigação contra cabo que amedrontou moradores com “ameaça comunista”

PM afirma que abriu investigação contra cabo que falou sobre
PM afirma que abriu investigação contra cabo que falou sobre "governo comunista" para cidadãos (Foto: Getty Images)

A Polícia Militar de São Paulo vai investigar um cabo da corporação que, durante uma ocorrência em São Sebastião, no litoral paulista, afirmou a moradores que um governo comunista tomaria as casas deles. As informações são do portal g1.

O momento foi gravado por moradores. O PM diz que as “o governo comunista que quer voltar” vai tirar a casa dos moradores. Ao g1, a corporação afirmou que as declarações do cabo não refletem a opinião da Polícia Militar.

“Esse sistema comunista, ele passa a ser dono de todos os seus bens. Veja bem, ali não tem escritura, né. Aí a prefeitura vem e derruba porque não tem escritura, está em área de preservação e esse negócio todo. Mas aí você tem essa casa aqui, que tem escritura. É sua. Você suou e pagou. Se vocês aceitarem esse governo comunista que está querendo voltar de novo, vai chegar a hora que o governo vai falar para você assim ó: essa casa agora é do governo”, disse o policial aos moradores de São Sebastião.

A fala foi feita na segunda-feira (25), em um bairro irregular, que passa pelo processo de regularização. A PM foi acionada durante um protesto dos moradores, porque um dos imóveis tem ordem de demolição.

Durante o atendimento, o PM reuniu pessoas da comunidade e afirmou que o “governo comunista” tiraria as casas deles, sem mencionar nomes de candidatos.

Na gravação, uma moradora questiona o policial: “Aí eu pergunto, e esse que está aí fez o que?”

“Senhora, é o que eu falei. Eu não gosto de política e não estou indicando político nenhum. Eu só estou querendo explicar para vocês, aproveitando essa oportunidade aqui porque ali, por exemplo, não tem escritura e está em uma área de preservação e aí é uma situação normal que o estado faz. Porém, se a gente alimentar a parte comunista da história, aí vai ser igual em outros países que estão ai. Nós perdemos o direito de todos os nossos bens”, declarou o PM como resposta.

Após o vídeo circular, a Polícia Militar de São Paulo afirmou que abriu uma sindicância para apurar a conduta do policial. “Ao tomar conhecimento das imagens, imediatamente instaurou procedimento para apurar a conduta do policial, sendo certo que, a opinião pessoal do militar, não reflete o posicionamento institucional, nem tampouco se coaduna com os protocolos previstos para atendimento de ocorrências da Polícia Militar”, disse a corporação, em nota enviada ao portal g1.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos