PM afasta 12 policiais por morte de rapaz que aguardava entrega de lanche em favela de SP

Suzana Correa
O vendedor ambulante David Nascimento dos Santos, de 23 anos, morto na última sexta, 24 de abril

Doze policiais militares de São Paulo foram afastados de suas funções por conta da investigação sobre a morte de David Nascimento dos Santos na última sexta-feira, na favela de Areião, no bairro do Jaguaré, zona oeste da capital paulista.

Os oficiais alegaram que atiraram em Santos, de 23 anos, para supostamente se defenderem de disparos feitos pelo rapaz, que trabalhava como ambulante. Vídeo do momento da abordagem, no entanto, contrariou a versão dos PMs. As imagens mostram a vítima desarmada e sendo colocada numa viatura da PM do 5° Batalhão de Operações Especiais(Baep) poucas horas antes de seu corpo ser encontrado em comunidade vizinha.

Segundo os oficiais, eles faziam a perseguição a pé de três homens que teriam se escondido após supostamente terem assaltado o carro de um motorista de aplicativo, na avenida Presidente Altino. O grupo teria se escondido pelas ruas da favela. David, na versão da polícia, seria um dos assaltante e teria atirado contra os policiais. Ainda segundo a PM, o jovem foi levado ao hospital, mas não resistiu. O caso foi denunciado pela Ponte, um portal de segurança pública e Direitos Humanos.

O caso foi registrado na 5ª DP de Osasco como morte decorrente de intervenção policial, resistência e excludente de ilicitude (quando o agente de segurança age em legítima defesa ou por absoluta necessidade). O motorista do carro assaltado afirmou não poder reconhecer seus assaltantes.

Imagens de câmera de segurança da rua, obtidas pela Ponte, mostram o jovem às 19h48 daquela noite sendo abordado por policiais em um carro e entrando no banco de trás da viatura. O celular com o qual o jovem se comunicava com a namorada ficou então sem sinal, de acordo com familiares.

O corpo do jovem, encontrado por volta das 22h na comunidade vizinha de Fazendinha, tinha sinais de espancamento e tiros no peito e cabeça. A mãe de Santos, Cilene Geraldina dos Santos, afirma também que o jovem teve as roupas trocadas pela polícia. No vídeo, o morador é visto usando bermuda e chinelos. O corpo foi encontrado com sapatos e uma calça que, segundo a mãe, não pertenciam a David.

Segundo informações da Ponte, o jovem morava com a mãe na favela do Aeirão desde um ano de idade e sonhava em ser cantor de funk. Santos era pai de duas crianças.

Na tarde do último sábado, familiares e amigos protestaram contra a morte do jovem em rua próxima à comunidade e à Marginal Pinheiros. A família denunciou a morte para a Corregedoria da Polícia Militar.

Em nota, a corporação afirma que “apura todas as circunstâncias relacionadas a ocorrência por meio de inquérito policial militar”. Doze agentes envolvidos na ação foram afastados do policiamento operacional e são investigados. A nota afirma ainda que a ocorrência é investigada pela Corregedoria e o 93º Distrito Policial, responsável pela área do crime.