PM aposentado mata esposa e sobrinho e se suicida no RS; filho conseguiu fugir

PM mata duas pessoas da família e se suicida em Porto Alegre - Foto: Getty Images
PM mata duas pessoas da família e se suicida em Porto Alegre - Foto: Getty Images
  • PM aposentado mata duas pessoas da própria família antes de cometer suicídio

  • O rapaz atirou contra a esposa e um sobrinho no apartamento em que viviam

  • O filho também foi baleado, mas conseguiu escapar e pediu ajuda

Um policial militar aposentado assassinou a própria esposa e um sobrinho a tiros na tarde da última quinta-feira (28), em Porto Alegre. Na sequência, ele cometeu suicídio.

A chacina aconteceu em um apartamento no bairro Partenon e teve apenas um sobrevivente: o filho do PM, que chegou a ser baleado, mas conseguiu escapar.

Segundo o UOL, a criança teria sido atingida na região da cabeça. Mesmo assim, conseguiu deixar o prédio e pedir ajuda a um vizinho, que acionou a polícia.

Em depoimento aos policiais, o garoto disse acreditar que o pai tenha agido por causa de uma dívida financeira.

"Ele descreveu de forma breve o que aconteceu. Disse que o pai estaria com uma dívida, de R$ 3 mil a R$ 4 mil, deixou uma carta de despedida e acabou executando a mulher, esse adolescente de 14 anos que ele criava, e baleou o filho, mas o filho conseguiu descer e pedir ajuda. Foi socorrido com vida", declarou a delegada responsável pelo caso, Isadora Galian.

A carta citada foi encontrada. Nela, o policial afirmava que a esposa não trabalhava e, assim, não conseguia sustentar a família sozinho.

O garoto foi resgatado e levado para um hospital, mas seu estado de saúde não foi revelado.

O caso está sendo investigado como homicídio, homicídio tentado e suicídio. A polícia ainda tenta determinar qual tipo de arma foi utilizada na ação.

Possível “inspiração” em outro caso

O inquérito não descarta a possibilidade de o PM aposentado ter sido influenciado por outra chacina ocorrida esta semana em Porto Alegre. Na quarta (27), um empresário matou a tiros a esposa, o filho, a mãe e a sogra na casa da família. Ele também se suicidou.

Como no caso do policial, o empresário Octávio Driemeyer Júnior, de 44 anos, teria agido motivado por dificuldades financeiras.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos