PM confunde caminhão de doações com veículo roubado e dá início a tiroteio em favela do Rio, dizem ativistas

ANA LUIZA ALBUQUERQUE
·1 minuto de leitura

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A entrega de cem cestas básicas na favela da Galinha, no entorno do Complexo do Alemão, zona norte do Rio, precisou ser interrompida nesta quinta-feira (30) após a Polícia Militar confundir o caminhão de doações com um veículo roubado. Houve tiroteio e pessoas que estavam trabalhando na distribuição do material precisaram se abrigar nas casas dos moradores da favela. O caso foi narrado nas redes sociais por dois integrantes do Coletivo Papo Reto, que atua na defesa dos direitos humanos no Alemão. "O caminhão das entregas já tinha estado na favela da Galinha de manhã. Voltou para reabastecer com mais cestas básicas e material de higiene. Quando voltaram ao local, a equipe foi surpreendida pela operação para 'resgate de caminhão roubado'", escreveu o ativista Raull Santiago no Twitter. A cofundadora do coletivo, Renata Trajano, que participou da ação, afirmou nas redes que ninguém se feriu. "Nos abrigamos nas casas dos moradores porque teve um forte tiroteio. Um desespero do caramba. Estamos bem, mas o susto foi imenso", disse. A Polícia Militar foi questionada pela reportagem sobre o ocorrido, mas ainda não se manifestou.