PM é flagrado batendo em mãe e filho com skate; assista

O policial usou o skate para bater em mãe e filho (Foto: Reprodução)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Policiais invadiram a casa da família e quebraram o dedo da mulher

  • O filho de 24 anos foi acusado de jogar objetos nas viaturas

Sem mandado de busca, Policiais Militares invadiram uma casa na Zona Norte de São Paulo na madrugada do dia 13 de outubro e encurralaram mãe e filho em uma escada. Um dos agentes foi filmado usando o skate do rapaz para bater nos dois.

Eliana Malaquias Barbosa, de 45 anos, diz que ficou com o dedo quebrado após a agressão. O filho, o tatuador Ataniel Barbosa Alves de Sousa, de 24 anos, conta ao G1 que recebeu golpes na cabeça e no braço, onde teve uma luxação.

Leia também

Os agentes da Polícia Militar alegam que invadiram a casa após verem Ataniel, junto de outras pessoas, arremessando objetos contra a viatura. Eles foram chamados para acabar com um baile funk na região. Eles afirmam que usaram bombas de efeito moral, balas de borracha e cassetetes para prender as pessoas que atacaram os veículos.

Testemunhas afirmam que os policiais militares se irritaram ao verem pessoas filmando a ação. Os agentes os ameaçaram de morte e levaram Ataniel para a delegacia, onde ficou detido por 24 horas e depois foi liberado. Nesse tempo todo, Eliana não teve notícias do filho.

Assista:

“Me levaram preso. Me tiraram de dentro de casa. Invadiram a casa e bateram em todos que aqui estavam”, conta Ataniel.

Outras pessoas que estavam na casa também acusam os agentes de agressão: o primo de 17 anos de Ataniel conta que um dos policiais deu uma coronhada com a arma na sua testa e deixou um corte.

O adolescente ficou com um corte na testa após a agressão (Foto: Arquivo Pessoal)

O caso veio à tona mais de um mês depois do incidente porque a Rede de Proteção e Resistência Contra o Genocídio acaba de enviar vídeos e depoimentos de testemunhas ao Ministério Público (MP) e à Corregedoria da Polícia Militar para que essas autoridades apurem a conduta dos policiais.