PM e irmão são presos por participação em estupro coletivo durante festa em GO

·2 minuto de leitura
Mulher foi violentada por seis pessoas durante festa em Goiás - Foto: Getty Images
Mulher foi violentada por seis pessoas durante festa em Goiás - Foto: Getty Images
  • Mulher afirmou ter sido estuprada por seis homens durante festa em Goiás

  • Um deles seria um subtenente da Polícia Militar, que era o dono da residência onde ocorria o evento

  • O PM, seu irmão e um terceiro rapaz estão presos por participação no crime 

A Polícia Militar do Distrito Federal prendeu três pessoas acusadas de participação em um estupro coletivo ocorrido no último fim de semana, em Águas Lindas de Goiás. Um deles é o subtenente da própria PM Irineu Marques Dias, de 44 anos.

Segundo informações apuradas pelo G1, Irineu seria o dono da residência onde ocorria a festa em que a jovem de 25 anos foi violentada. Além do PM, foram presos preventivamente seu irmão, Daniel Dias Marques, de 37 anos, e Thiago Castro Munis, de 36.

Leia também:

Os três foram reconhecidos como autores do estupro pela própria vítima, que afirmou, em depoimento na última quarta-feira (13), ter sido violentada por seis homens. Os outros três ainda não foram identificados.

A polícia deteve Irineu, Daniel e Thiago pouco após o crime, e a Justiça decidiu mantê-los na cadeia preventivamente. O juiz Rodrigo Victor Foureaux Soares considerou o relato da vítima “assustador”.

Entenda o crime

A vítima e os três acusados participavam de uma festa que teve início na sexta-feira (8) e iria até domingo (10). Segundo a jovem, Irineu, Daniel e Thiago, junto de outros três rapazes, a violentaram durante o evento.

Vítima foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros - Foto: Reprodução/TV Globo
Vítima foi resgatada pelo Corpo de Bombeiros - Foto: Reprodução/TV Globo

Ela alegou que tentou chamar por socorro, mas foi ignorada pelos outros presentes na residência do PM. Em certo momento, a mulher conseguiu fugir e pediu ajuda na rua, sendo resgatada pelo Corpo de Bombeiros.

Levada para um hospital, a vítima passou por atendimento e foi conduzida à delegacia, onde prestou depoimento. Um exame preliminar comprovou que ela foi submetida a abusos sexuais.

Polícia Militar se manifesta

Em nota, a Polícia Militar confirmou o afastamento de Irineu “até a elucidação desse fato”. "De qualquer forma, a PMDF não compactua com quaisquer desvios de condutas, menos ainda com ações que configurem crimes."

A defesa nega a participação dos três acusados no crime. Em nota, afirmou que o PM sequer estava na festa em que ocorreu o estupro.

“O Policial Militar que ora sofre as consequências da acusação infundada, não esteve no local dos fatos durante a madrugada conforme narrado pela suposta vítima, pois estava há pelo menos 50 km de distância, em seu local de trabalho, chegando ao local dos fatos somente pela manhã.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos